quarta-feira, 17 de novembro de 2010

SOLILOUCURAS... Mais Textos Produzidos

As incertezas à beira da estrada

Diante de certas preocupações e angústias do dia a dia, parei por um instante e me sentei à beira do caminho. Não estava parada por não querer prosseguir ou por estar cansada,mas houve a necessidade de eu refletir sobre as dificuldades da minha vida,como se eu precisasse tomar um fôlego.
Por que nos submetemos a tantas jornadas?É estudo, é casa, casamento, filhos, emprego, vizinhança, sociedade!
Mas que motivo nos obriga a vivermos tantas vidas numa só?Por que quando temos problemas nem sempre ouvimos ou vemos as pessoas os solucionarem?Se nós nos envolvemos com tanta gente?
Mas, é aí que temos uma resposta: tanta gente. E os problemas não são “da gente”,o problema é meu,outro é seu.
É, vou me levantar do banco e andar, pois sabe quando não vou mais ter problema?Quando eu morrer! E viver é a minha praia até chegar ao mar.

Jailma Cerqueira
Plataforma Freire – UNEB/DCHIII

Buscando o meu eu.

Hoje aos trinta e cinco anos venho me perguntar: Será que realizei todos os meus sonhos? Tenho o meu trabalho, minha casa própria e até a minha moto, que tanto sonhei. Mas mesmo assim me questiono: Será que estou feliz? Tenho um namorado que me ama e eu o amo também.
Por que sempre penso que está faltando alguma coisa na minha vida?
Às vezes, penso que falta o meu filho ou a minha filha, que tanto sonhei e desejei...
Mais como não veio ainda, será que me falta somente um filho?
Será que já realizei todos os meus sonhos? Não sei, só posso dizer que estou em busca de algo mais. E por que, às vezes sinto falta de algo que não sei o que é e fico a pensar será mesmo que falta alguma coisa? Por que ainda não estou totalmente feliz? O que me falta? Ah! São tantas perguntas que me faço! Mais nem todas em resposta. E fico a me perguntar o que mais quero da minha vida. Sinto que desejo o que todos querem ser feliz e completo plenamente. Tendo saúde, amor e paz.

Valdenice Firma

Além do horizonte azul existe outro horizonte.

O momento de reflexão que ora permaneço traz-me grandes angústias ao meu coração. Quando vejo algo errado não me contento e começo a questionar determinadas situações. O que provoca nas pessoas a não aceitação das minhas críticas e opiniões como troca de idéias. Por onde ando, as dificuldades se apresentam da mesma forma como se este defeito me acompanhasse e ponho a me questionar: Quem está errado? Eu ou as pessoas com quem estou me relacionando? São indagações que carrego amargamente no meu âmago.

Sentado à beira do mar, correndo da poluição, fora do barulho e da fofoca, acabei envolvido no mesmo dilema não conseguindo me afugentar, sofrendo ainda críticas impostas pela sociedade por me apontarem como louco e/ou figura de sofrimento que não chega a lugar nenhum.

Diante de toda esta análise de comportamento vejo no horizonte um final feliz respaldado com experiência e a certeza de que valeu a pena refletir, pois barreiras existem para serem ultrapassadas por homem forte igual a mim e é com dificuldades, serenidade e perseverança que irei conseguir ultrapassá-las.

Wilson José de Souza
Plataforma Freire-UNEB/DCH III

4 comentários:

goretti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Profª. Antonise Coelho disse...

Caro Wilson,
Apesar de tudo, esperamos que suas angústias sejam dissipadas. Quando encontrar o mar, sinta-se vitorioso, pois a vida é feita de perseverança, otimismo, conquistas. Sei que será sempre um HOMEM FORTE.
Com carinho,
Professora Antonise e colegas da Plataforma Freire

goretti disse...

Querida Jailma.
A fé em Deus nos faz crer no incrível e realizar o impossível. Deus não escolhe capacitados, mas, capacita os escolhido. Não tenha medo, tenha fé.
Abraço caloroso.
Goretti

anaittee disse...

Jailma é assim mesmo sei que é difícil más com tudo virão dias melhores. deus é parte de tudo isso e quando se acredita nele se consegue ,conquista...Bjs
Anaite