terça-feira, 16 de agosto de 2011


ÀS VEZES, DE MANHÃ.

Às vezes, de manhã.
Meu coração se enche de dor
Quando não vejo meu grande amor
Às vezes, de manhã.

Às vezes, de manhã.
Acordo leve como uma flor
Que em segredo se aflora o meu eterno amor
Às vezes, de manhã.

Às vezes, de manhã.
Quando vejo o amanhecer
Penso em você sem querer
Às vezes, de manhã.

Às vezes, de manhã.
Sinto-me nua
Andando sem você pelas ruas
Às vezes, de manhã.

PRISCILA IRIS DE CASTRO - TH11


AS VEZES AO AMANHECER DO DIA

Às vezes ao amanhecer do dia
minha janela se abre e  ouço os pássaros me dando bom dia
e me sinto feliz, pois sinto a presença de Deus.
Às vezes, ao amanhecer do dia

Às vezes ao amanhecer do dia
o vento toca minha pele sem proteção
e eu espero que o sol me ilumine
Às vezes, ao amanhecer do dia

Às vezes ao amanhecer do dia
viajo nos meus pensamentos em busca
de algo que me traga lembranças
do que um dia eu fui
Às vezes, ao amanhecer do dia.


CAMILLA ALVES - TH11


Nenhum comentário: