terça-feira, 2 de agosto de 2011

Construções Poéticas dos Alunos e Alunas

Às vezes em silêncio
penso: "não foi por falta de lutar"
sinto: "não foi por falta de querer"
eu mudei, me anulei, não sei porquê.
às vezes em silêncio.

Às vezes em silêncio
percebo, águas passadas, portas trancadas
melhor o fim, melhor assim
parto sem mágoa, voz embaraçada
às vezes em silêncio.

Às vezes em silêncio
descubro que na sua estrada vejo você longe de mim
meus erros não são justificáveis
o sentimento é real mas chegou ao fim
às vezes em silêncio

Às vezes em silêncio
reflito sobre essas coisas e como sempre
nosso tempo, juntos, retorna à minha mente.
Sem nenhum sentimento especial a não
ser a certeza de que afinal....o tempo passou
às vezes em  silêncio.

Adriana Viana
Turma 01 de Agroecologia

3 comentários:

Alef Braga disse...

Nossa! Simplesmente o texto que mais me emocionou!

Você escreve de uma forma singela e eficiente, enquanto lia parecia que não era a mente que falava, mas sim a alma.

Simplesmente adorei!

analuciaTa01 disse...

ADRIANA FOI FIEL A DESCREVER SUAS INCERTEZAS, SEU DESCONTENTAMENTO E DÚVIDAS SOBRE SEUS MOMENTOS.

Anônimo disse...

O texto ta otimo!!
Foi o que mais gostei,e de fato o mais profundo...
Arrasou!!