terça-feira, 16 de agosto de 2011

Poema
Às vezes, durante o dia
sinto vontade de fazer algo
que não sei explicar...



Ás vezes, durante a tarde
tenho sono, mais não posso
dormir pois tenho que trabalhar...



Às vezes, durante a noite me
deito e tenho a certeza que o dia
foi de grandes realizações, então
agradeço e adormeço sem hesitar...


Às vezes, em nossas vida, o
tempo parece não passar dai
surge a dúvida, se tudo um dia passará...


Patrícia Nascimento Barbosa Santos.
Turma: TH11






Quem sabe eu possaQuem sabe eu possa,
acordar e ver
as águas do mar , lambendo o sol
no alvorecer de um novo dia.
Quem sabe eu possa

Quem sabe eu possa
no enfado do meu corpo
quando o crepúsculo cair
poder sonhar e ver;
os campos florirem , crianças sorrirem,
o amor ressurgir.
Quem sabe eu possa

Quem sabe eu possa
ver novamente o colibri
com sua beleza e charme
em movimento frenéticos
parando aqui, e ali
sentindo o aroma das flores.
Quem sabe eu possa



Raimundo Nonato Alves do vale
Aluno do curso : Tecnólogo em hoticultura TH 11
INSTITUTO FEDERAL









MAIS UMA VEZ

Lembro de tuas mãos,
Ainda posso senti-las.
Recordo as palavras,
As frases.
Revivo os instantes.
Te busco em mim.
Mergulho nas lembranças,
Entrego-me ás esperanças.
Quero ter-te de novo,
Tua boca,
Teu calor.
Quero encontra-me novamente no teu abraço,
Para poder então,
Mais uma vez,
Sorrir,
Amar.





Poema de : INGRID MERELLY S. ANTUNES
TH11

2 comentários:

Mizai disse...

EEeeeeeiita, ta é apaixonada mesmo.
É por minha pessoa né ??

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Esperando o amor chegar.

daniel disse...

mais uma vez.
mostra o lado sentimental da autora,
que busca nas suas lembranças alguem que talvez tenha ido embora de sua vida alguem que deixou saudades.