sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Proposta de Produção Textual semelhante ao que foi pedido no ENEM deste ano. Não houve plágio, mas uma temática atualizada.

        No livro "44 cartas do mundo líquido moderno", o sociólogo polonês Zygmunt Bauman compõe um verdadeiro mosaico da sociedade contemporânea. Além de mostrar sua versatilidade, ao passear com desenvoltura por temas como moda, sexo virtual, gastos de adolescentes e xenofobia, o autor consegue materializar uma das aflições do que ele chama "mundo líquido moderno": o excesso de informações. Mesmo tratando de assuntos aparentemente tão diversos, Bauman consegue dar uma certa uniformidade a essa pequena Babel, comparação que peço licença para fazer às 44 cartas. A escolha da forma de correspondência não poderia ter sido melhor, uma vez que pode incentivar à volta do uso de missivas reais.

Solidão
 Ao falar sobre o medo da solidão, na segunda carta, "Sozinhos no meio da multidão", Bauman mostra os artifícios criados pelos sobreviventes desse mundo líquido moderno para fugirem delas próprias. Ao relatar o caso de uma adolescente que enviou três mil mensagens de texto num único mês, ele aponta que "isso significa que ela mandou uma média de 100 mensagens por dia, ou cerca de uma mensagem a cada dez minutos do tempo que esteve acordada", assinala Bauman, alertando: esses aparelhinhos de bolso que enviam e recebem mensagens não são os únicos instrumentos de que essas e outras jovens necessitam para sobreviver sem dominar o que ele chama de "a arte de estar consigo mesma". Existem, também, as redes sociais digitais, além dos sites de amizade. Hoje, é impossível estar sozinho, exceto, se a pessoa quiser. Ou melhor, como diz o sociólogo polonês, tenha aprendido a arte de estar consigo mesmo.

Estar só não é fácil e talvez seja um dos maiores medos da humanidade. Afinal de contas para que as pessoas precisam correr risco de encontrar pessoas se podem estar conectadas on-line?

Diante desses questionamentos, foi solicitado um texto dissertativo-argumentativo aos alunos do Curso de Horticultura e Agroecologia do Instituto Federal Sertão PE que abrangesse o uso da internet face à situação apresentada por Bauman.

Registro que esta atividade foi realizada bem antes do ENEM, o que provocou admiração por apresentar um tema semelhante à proposta de redação deste ano, mas esta professora apenas sugeriu uma temática  atualizada para os dias de hoje e, portanto, não houve plágio. Os textos postados foram baseados na  carta de ZYGMUNT BAUMANN – SOZINHOS NO MEIO DA MULTIDÃO. Esperamos os comentários dos colegas e demais alunos da Instituição.

TEXTOS:
1. Sozinho no meio da multidão

As pessoas mesmo vivendo em uma sociedade bem desenvolvida, ainda preferem  viver na solidão, longe de carinho e contatos, perto apenas da globalização. Esses fatos vêm acontecendo, principalmente, entre os jovens, ou indivíduos que preferem conhecer outros virtualmente.
No intuito de não viver a solidão, ou melhor, de amenizar o medo, as mesmas vão em busca das tecnologias, da informática, principalmente à internet, onde por meio de salas virtuais se comunicam com vários outros usuários ao mesmo tempo. Os celulares e os tablets, também servem de companheiros nesses momentos de angústia.
É importante lembrar do caso da garota que enviava 100 mensagens por dia, ou seja uma a cada dez minutos, mostrando um exemplo claro de como uma parte da população se comporta ao tentar fugir da solidão. Evidenciando uma prática que está virando rotina no cotidiano de muitas pessoas, não importando raça, classe social, entre outros.
O ser humano necessita de mais contato com a vida real, e parar de viver essa ficção virtual. Em outras palavras, necessitam encarar de frente todos os obstáculos da vida em sociedade, aprendendo a respeitar, amar, conhecer os outros como eles são realmente.
Gleuber Gonçalves Batista da Silva       

Turma:TH11
IF SERTÃO, ZONA RURAL

TEXTO 2:
Desde a antiguidada, as pessoas sempre conviveram em grupos.Para garantir a sobrevivência , todos dependiam uns dos outros.Cada um execultava uma função, ou seja,interagia entre si.
   Com o passar do tempo e a modernização, as pessoas foram ficando "sós",o "contato pessoal",diminui a cada dia, e o ser humano está se tornando "solitário".Esse termo não é totalmente adequado para definir essa situação, pois as pessoas vivem apesar de tudo interagindo,como fala o autor(Zigmunt Bauman) de diversas formas: em redes sociais,digitais,além dos sites de amizade.
  Mas,há também uma questão,pois essas pessoas apesar de estarem se comunicando de alguma forma,não têm a "presença pessoal".Estão "sós",e ao mesmo tempo "acompanhados".E é claro que não é mesma coisa de se comunicar com alguém assim.
  "Corremos" para a frente de uma tela de computador,ou de qualquer outro meio que nos permita estarmos em contato com outro,porque temos "horror" de ficarmos "sós".Há muitas pessoas solitárias que não se classificam como tal. E essa falta de convívio social,acaba gerando uma série de consequências negativas, como: depressão.Afeta também relacionamentos,muitas famílias, já não se reunem mais,não conversam, preferem estar "on line".Os pais perdem o contato com os filhos,e vice-versa.
  Começamos então a termos a sensação de estarmos "sós no meio da multidão",porque sentimos um "vazio",e não sabemos por vezes como preenchê-lo.
  Mudar essa situação parece ser difícil,devido já estarmos acostumados a agir assim,mas somente quando repensarmos esses atos e mudarmos,poderemos ter novamente "tranquilidade",conosco.

(Bruna Maíra TA-01)

TEXTO 3


SOZINHOS NO MEIO DA MULTIDÃO



      Diante de tantas inovações e aparelhos portáteis, jovens e adultos tem dedicado boa parte de seu tempo de trabalho, estudo e diversão às interações virtuais, às vezes a maior parte do seu dia- dia?O que será que desperta essa dependência com tais dispositivos?

      O avanço da informática junto com a modernidade tem influenciado as pessoas de todas as idades, lugares, classes a partilharem relacionamentos virtuais, desde um bate-papo (para saber de onde são e o que fazem, até um namoro cheios de trajetórias e acontecimentos, desconhecidos para ambos), na atualidade é comum ouvir estórias de casais apresentados e formados graças às páginas de relacionamento.

     Até onde chegará a utilização de redes sociais, bate-papos, torpedos, Orkut’s, face books e tudo mais? Para preencher a necessidade humana de comunicação?

    Muitas vezes se torna uma espécie de refúgio para aqueles  que não saem de casa, que são separados, viúvos, enfim pessoas solitárias, seres que se sentem seduzidos pelas perguntas , contatos , sites /caminhos que alimentam seus vazios, sem á preocupação de ser real ou imaginário para ambas companhias virtuais.
Ana Lúcia Borges - TA 01

9 comentários:

Jussimara Cordeiro disse...

Aninha estou achando que você criou essa redação se inspirando em você hein!!? rsrsrs

Jussimara Cordeiro disse...

Nossa Bruna não sabia que se sentia tão solitária assim amiga, mas ficou linda.

Jussimara Cordeiro disse...

Glauber não lhe conheço, mas adorei sua redação, ficou belissíma.
Parabéns!

analuciaTa01 disse...

Para mim, foi bem oportuno esse assunto da informática na avaliação, póis pude repensar e analisar as ações que internautas cometem.E também concordo com as opiniões dos textos expostos, no geral o desafio atual é aprendermos a dosar nossas emoções ao utilizarmos essas ferramentas virtuais.

Gleuber disse...

os textos apresentados vêm mostrando, que com o passar do anos e a evolução do homem, as pessoas estão ficando mais individualistas, solitarias. Maíra ate relembrou como era antes, que todos se ajudavam, hoje muitos preferem terem amigos virtuais e só.
Portanto é isso comentem.
Gleuber Gonçalves
TH11

Camilla disse...

Nooossa bem interessante Gleuber sua visão, também acho que as pessoas deveriam valorizar mais alguns valores que estão se perdendo no tempo....
Camilla TH11

Aline Duarte disse...

Mas tudo bem, Ana parabéns pelo seu texto! =)

filipe eugenio disse...

Isso ana , ta muito certa , observo ainda que a tecnologia virtual é muito boa , mais traz alguns aspectos negativos , um deles é que estão se acabando o dialogo

Bruno disse...

concordando com os outros comentarios..
realmente a era virtual deixa as pessoas mais afim de conhecer as outras virtualmente e nem tanto pessoalmente =\