segunda-feira, 24 de junho de 2013

Turmas do Ensino Médio conhecem Sistema de Mandala em Irecê

Durante a viagem a Irecê-BA, os jovens conheceram exemplo de Sistema de Mandala como alternativa para a convivência com o semiárido brasileiro. A mandala garante a sustentabilidade da unidade familiar.








O modelo do sistema de Mandala se organiza na forma de círculos concêntricos. No entanto, é preciso um esforço maior por parte do poder local, em busca de suprir a falta de políticas intensivas de desenvolvimento agrícola em associação com atividades de proteção ambiental.

terça-feira, 11 de junho de 2013

CONTO "A LENDA DO CANIBAL "

Os temas e assuntos dos contos produzidos em sala de aula e corrigidos logo depois não deveriam ser apenas românticos. A criatividade e um certo exagero no realismo fantástico foram permitidos no ato da escrita. O importante era desenvolver textos da própria autoria e que a tarefa de correção não fosse para modificar o essencial da narrativa.  Parabéns aos alunos das turmas 3219 de Agroindústria e aos da turma 2227 de Zootecnia.  Profª Antonise.

A lenda do Canibal
                                                                                
                                                      Jocicléa Santos Carvalho  - Turma 3219

 Era uma vez  três amigos Raul, Vitor e Vitoria que eram muito curiosos. Um dia resolveram sair da aldeia onde moravam e foram para a floresta misteriosa. Quando atravessaram o rio, à noite, não sabiam como voltar para casa, então  resolveram passar a noite na floresta. Procuraram um lugar para dormir, mas  não sabiam que naquele lugar havia canibais.

Ao passar o tempo, um canibal que por ali estava passando, sentindo seu cheiro. Quando os avista, corre para cima de Vitor e lhe arranca uma parte do corpo. Raul e Vitoria vão ajudar o amigo e o Canibal sai com uma das suas pernas. Eles estavam com muito medo de sair para outro lugar. Resolvem fazer uma fogueira e passam a noite ali mesmo. 

Já  com os sintomas de canibal, Vitor começa a sentir fome e não tem o que comer, resolve arrancar nos dentes a outra perna. Amanhece o dia, Raul e Vitoria olham para o amigo assustado e perguntam:  “ - Cadê a  outra perna?”

O amigo passa por despercebido. Responde que não sabe, mas eles acham estranho  o ocorrido e ficam procurando um jeito de voltar para casa. Anoitece mais uma vez e eles vão dormir, Vitor começa a sentir mais fome e resolve comer os próprios braços. Quando amanhece, os amigos ficam apavorados e com medo, vão mais uma vez procurar um jeito de sair da floresta e avistam um barco ao longe. Vitor está cada vez mais fraco sendo um animal furioso.

 Ao anoitecer não conseguem dormir com medo da situação. Vitor por sua vez começa a sentir mais fome e resolve comer pedaços do próprio corpo. No entanto só lhe resta agora a sua cabeça. Quando Raul e Vitoria veem o estado do amigo, horrível, saem correndo em direção ao barco. Vitor pede para não deixá-lo ali.  Eles com muito medo e não dão ouvidos  ao que o amigo denuncia.

 Vitor sai rolando atrás, e pede para que eles o levem. Os garotos saem  muito assustados e não atendem o pedido do amigo. Vítor finalmente grita:
 “ - Vão, vão embora, mesmo, pois eu só estava esperando anoitecer para comer vocês dois.

 Quando chegam  à Aldeia onde moram e contam o que aconteceu com Vitor e alertam a todos, eles  nunca vão para  a floresta,  pois  é cheia de mistério.

 Raul e Vitoria deixam de ser curiosos,  pois foi por causa da curiosidade deles que perderam um amigo.



UM CONTO EM CADA CANTO

Cleidiane Iracema de Macedo    Turma: 3219

Numa vila chamada Lattes viviam aproximadamente 1.500 pessoas. Todas seguiam uma única crença, adoravam um canto um tanto inusitado, mas que para eles tinham um grande significado que a principio era desconhecido por outras regiões.
Os estrangeiros que ali andavam ficavam curiosos para saber o que tanto havia neste local, porém nunca descobriam, pois a preservação desse lugar era de responsabilidade de um senhor sábio, que transmitia belos ensinamentos.
Um belo dia um rapaz saiu de sua cidade e foi para Lattes com um único desejo, descobrir qual o segredo daquele lugar. Ao chegar à vila ele se deparou com aquele homem sábio e lhe disse:
- Mestre saí da minha cidade a mais de 100 km daqui só para descobrir o que há neste canto.
O mestre respondeu:
-Meu rapaz eu não posso, sou responsável justamente para guardar este segredo. O que eu posso dizer é: ”Não procure em outro o que tem em todo lugar”.
O rapaz ficou mais intrigado e insistiu em saber.
-Mestre, eu prometo não contar pra ninguém o que tem neste canto.
O mestre reforçou suas palavras:
-Não posso contar!
O rapaz inquieto queria saber de qualquer jeito, e continuava insistindo, mas nada fazia com que aquele senhor contasse. Passou o tempo e o mestre cansado lhe disse:
-Meu rapaz, diga-me uma coisa, quando lhe é confiado uma missão, você a descumpre? O rapaz respondeu rapidamente que não.
-Então, rapaz, você quer que eu descumpra o que me foi confiado?
-Não! indagou o rapaz de cabeça baixa,  se sentindo envergonhado por perceber que estava insistindo para descobrir algo que não era de seu interesse. Ele pediu desculpas e saiu.
-Espere! Disse-lhe o mestre. 
- Meu bom rapaz que tenha aprendido que nem tudo você precisa saber e muito menos fazer com que algo confiado a alguém seja descumprido por uma curiosidade desnecessária.

 Agora, volte para sua cidade e não precisa comentar se descobriu ou não o segredo do misterioso canto de Lattes.

DECLARAÇÃO DE AMOR - POEMA DE GIRLANE DIAS - AGROINDÚSTRIA T. 3219

NAS MINHAS ORAÇÕES PEÇO A DEUS FORÇA PARA PERMANECER FIEL.
UM SENTIMENTO PARA SOBREVIVER NÃO É FÁCIL,  MAS SE EXISTIR O AMOR PALPITANDO  DENTRO DO CORAÇÃO, VAI FLUIR. 
SÓ ASSIM TERÁ A CERTEZA QUE ESSE AMOR PERMANECE VIVO..
TRÊS COISAS TEM QUE EXISTIR EM UM RELACIONAMENTO:


FOGO, SE NÃO ESTIVER É MELHOR AMIZADE
DIÁLOGO:PARA TER AVALIAÇÃO DE ABAS PARTES
AMOR: ESSE É O PRINCIPAL DE TODOS, SEM ELE NADA PERMANECE VIVO.

AMAR NÃO SIGNIFICA ESTAR DISPOSTA A ACEITAR TUDO DE ERRADO
MAS PROCURAR SAIR DA SITUAÇÃO DIFÍCIL,  SEM DEIXAR MARCAS.
VIVER UM GRANDE AMOR  É ESTAR DISPOSTO A ENFRENTAR TUDO DE BOM E DE RUIM QUE VIER.
ACIMA DE TUDO PEDIR SABEDORIA DO ALTO PARA SER FIEL.


Girlane Dias -
Turma: 3219 -  Agroindústria


Girlane Dias, à direita, fazendo a leitura dos Contos Africanos ao lado  de uma colega de turma.

CONSÓRCIOS DE OVINOS CRESCEM NO VALE DO SÃO FRANCISCO

IF  SERTÃO ZONA RURAL - GÊNERO REPORTAGEM: 

 O QUE TEM DE MELHOR NO SETOR DE AGROPECUÁRIA - CONSÓRCIO DE OVINOS

A frutiovinocultura é uma das modalidades da Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), formada pelo consórcio de plantas frutíferas com a criação de ovelhas. Ela tem sido implantada no Nordeste brasileiro como uma alternativa viável para aumentar a produtividade e a rentabilidade das áreas de cultivo irrigado de frutas. No Vale do Submédio São Francisco, a maior parte dos consórcios acontece em áreas de cultivo de uva e de manga, que são os principais produtos de exportação da região. O consórcio usando ovinos é o mais recomendado, pois os animais causam menos danos aos pomares, em comparação com caprinos e bovinos. A criação também é aconselhável por eles terem menor porte que os bovinos e por privilegiarem o pastejo de plantas herbáceas e não da copa das árvores, como os caprinos.




 PARA AMPLIAÇÃO DOS CONHECIMENTO SOBRE O TEMA:
 Entre as diversas vantagens da frutiovinocultura está a maior eficiência no uso da terra, pelo aproveitamento da mesma área com duas atividades, pela incorporação de mais uma fonte de renda e atenuação do problema da sazonalidade da agricultura, já que, com a criação de ovinos, a propriedade pode comercializar os animais todos os meses do ano. O consórcio possibilita ainda a redução de custos com capinas manuais, roçagens mecânicas e aplicação de herbicidas, uma vez que os animais se alimentam das plantas daninhas. A médio e longo prazos também diminuem os custos com adubação química, face a deposição dos dejetos nas áreas, além do esterco que é retirado no aprisco.



Grupo: Naéliton, José Paulo, Robson Carlos, Francisco Yuri, Ediones -
Turma 4204 do IF ZONA RURAL

Após os Seminários, os grupos elaboraram um  jornal  e o entregaram aos alunos da Instituição. O tema da reportagem partiu das leituras e interesse de aprofundamento relativo ao curso de Agropecuária. Outras equipes escolheram diversos temas como gravidez na adolescência, tecnologia,  bullying, etc.

QUEREMOS RECEBER OS COMENTÁRIOS SOBRE ESTE TRABALHO DA PRIMEIRA UNIDADE NO 2º ANO.

Cenas de Amor e Sofrimento emocionam plateia em adaptação do Romance Histórico - Estudo do Romantismo


O Grupo de Luis Gabriel, Evandro, Maiany, Jeovana Mikaela e Ramone da turma 4103 - Ensino Médio soube dramatizar com entusiasmo e competência o texto adaptado por Jeovana sobre o amor proibido entre escravo e Sinhazinha. Além disso, a leitura do poema elaborado pela mesma aluna trouxe o clima e a descontração que o próprio espaço da biblioteca já favorece sobre o sentimentalismo, a oposição de valores sociais, o final trágico entre as personagens.




Agradecemos o apoio da nossa bibliotecária Rosângela Carvalho que tem incentivado as nossas atividades lúdicas, contribuindo para que as aulas se tornem cada vez empolgantes e que o conhecimento seja mais valorizado pelo incentivo à arte e à literatura.







A árvore serviu como tronco para as chicotadas do Capataz
que não poupou  sofrimento para a escrava  


O amor romântico deixa a plateia vibrante neste
instante registrado entre os alunos Evandro e Sheila.
A atmosfera  sentimental toma conta dos atores.





Na sexta, dia 07 de junho, o Jardim da Biblioteca do IF Sertão Campus Zona Rural foi o local ideal para a adaptação de cenas do romance histórico. Turma 4103 - Ensino Médio representa a escravidão, os maus tratos dos Senhores de Escravos ao proibir o relacionamento entre jovens de classes sociais distintas.Os alunos da turma 4204 foram figurantes na apresentação da turma 4103 com a alegria que sempre nos contagia. Parabéns a todos.







Tivemos a participação, na manhã de sexta, dia 07 de junho, da Coordenadora do Ensino Médio, Professora Rafaela Carla que também veio prestigiar a atividade de literatura. Na foto abaixo, temos também a Bibliotecária Rosângela Carvalho que acompanha e orienta as nossas atividades.
Profª. Rafaela Carla (1ª  da Esquerda para direita  com blusa de listas) e Rosângela ( bibliotecária - ao meu lado) assistiram à peça sobre o romantismo histórico
 com o tema da escravidão adaptada pela aluna Jeovana Mikaela ( 2º ano)

Semelhanças entre o Homem Atual e o Homem Romântico - Dramatizações

Percurso pelo Romantismo e a descoberta de talentos entre os alunos e alunas do Ensino Médio – Agropecuária ( 2º anos- T. 4103 e 4204) durante as apresentações no espaço da Biblioteca do Campus Zona Rural. Este lugar já inspira beleza e o retorno à Antiguidade Clássica.




É preciso considerar que existem muitas  semelhanças entre o homem atual e o homem romântico do século XIX: ambos sonham com ideias de igualdade social, justiça; além disso, possuem traços individualistas e querem provar o amor que sentem por suas amadas.  Essas são algumas características da poesia romântica   mostradas pelo grupo.