terça-feira, 11 de junho de 2013

CONTO "A LENDA DO CANIBAL "

Os temas e assuntos dos contos produzidos em sala de aula e corrigidos logo depois não deveriam ser apenas românticos. A criatividade e um certo exagero no realismo fantástico foram permitidos no ato da escrita. O importante era desenvolver textos da própria autoria e que a tarefa de correção não fosse para modificar o essencial da narrativa.  Parabéns aos alunos das turmas 3219 de Agroindústria e aos da turma 2227 de Zootecnia.  Profª Antonise.

A lenda do Canibal
                                                                                
                                                      Jocicléa Santos Carvalho  - Turma 3219

 Era uma vez  três amigos Raul, Vitor e Vitoria que eram muito curiosos. Um dia resolveram sair da aldeia onde moravam e foram para a floresta misteriosa. Quando atravessaram o rio, à noite, não sabiam como voltar para casa, então  resolveram passar a noite na floresta. Procuraram um lugar para dormir, mas  não sabiam que naquele lugar havia canibais.

Ao passar o tempo, um canibal que por ali estava passando, sentindo seu cheiro. Quando os avista, corre para cima de Vitor e lhe arranca uma parte do corpo. Raul e Vitoria vão ajudar o amigo e o Canibal sai com uma das suas pernas. Eles estavam com muito medo de sair para outro lugar. Resolvem fazer uma fogueira e passam a noite ali mesmo. 

Já  com os sintomas de canibal, Vitor começa a sentir fome e não tem o que comer, resolve arrancar nos dentes a outra perna. Amanhece o dia, Raul e Vitoria olham para o amigo assustado e perguntam:  “ - Cadê a  outra perna?”

O amigo passa por despercebido. Responde que não sabe, mas eles acham estranho  o ocorrido e ficam procurando um jeito de voltar para casa. Anoitece mais uma vez e eles vão dormir, Vitor começa a sentir mais fome e resolve comer os próprios braços. Quando amanhece, os amigos ficam apavorados e com medo, vão mais uma vez procurar um jeito de sair da floresta e avistam um barco ao longe. Vitor está cada vez mais fraco sendo um animal furioso.

 Ao anoitecer não conseguem dormir com medo da situação. Vitor por sua vez começa a sentir mais fome e resolve comer pedaços do próprio corpo. No entanto só lhe resta agora a sua cabeça. Quando Raul e Vitoria veem o estado do amigo, horrível, saem correndo em direção ao barco. Vitor pede para não deixá-lo ali.  Eles com muito medo e não dão ouvidos  ao que o amigo denuncia.

 Vitor sai rolando atrás, e pede para que eles o levem. Os garotos saem  muito assustados e não atendem o pedido do amigo. Vítor finalmente grita:
 “ - Vão, vão embora, mesmo, pois eu só estava esperando anoitecer para comer vocês dois.

 Quando chegam  à Aldeia onde moram e contam o que aconteceu com Vitor e alertam a todos, eles  nunca vão para  a floresta,  pois  é cheia de mistério.

 Raul e Vitoria deixam de ser curiosos,  pois foi por causa da curiosidade deles que perderam um amigo.



4 comentários:

GIRLANE DIAS disse...

muito criativo..

GIRLANE DIAS disse...

linda ..
fantasia quem ler.

Cleidiane disse...

Se Raul e Vitória não fossem embora eles virariam a refeição para o amigo. Isso tudo por curiosidade dos mesmos...Criativa e fantasiosa essa história.

Anônimo disse...

muito criativo , muito bom adorei