sexta-feira, 4 de outubro de 2013

CRÔNICA REFLEXIVA DE DANYEL BARROS GALVÃO - PRONATEC

Se for preciso, a gente aumenta depois.
Danyel ao fundo,pensativo, ao lado de José Eudes
      
Numa tarde de Dezembro, não lembro o dia, mas foi antes do meu aniversário, que é no dia dez.Caminhava por uma rua bonita e bem cuidada na cidade de Brasília. À direita é possível ver as torres do Congresso Nacional, lá no fim da Esplanada. À esquerda, há uma longa calçada que perde seu caminho ao topar com um “metro quadrado”, no qual duas árvores brigam por espaço.
      Brigam?!
      Mas que presunção!
      Talvez elas estejam lá há tanto tempo que já aprenderam a conviver com a crueldade do aperto em que foram colocadas, e se acostumaram com a dor de verem em sua frente o imenso gramado que  encorpa o Eixo Monumental da cidade em forma de avião.    
      Talvez elas pensem: “Bem que poderíamos estar na primeira classe deste voo”.
      O voo que amontoa pés de jamelão em pequenos canteiros nas calçadas, engessadas, de cimento  e, ao mesmo tempo, ostenta quilômetros de gramados onde aquelas duas parceiras poderiam espalhar sua estirpe à vontade.
      Me pergunto se até na natureza há diferença social.
      Olho aquelas grandes árvores e imagino o tamanho de suas raízes sobe o piso. Suas veias inutilizadas pela impermeabilidade do concreto.
      Talvez elas dividam bem a pouca água que entra pelo pequeno espaço do canteiro que compartilham. Ou será que vivem a lei do mais forte?
      Não!
      Em tão pouco espaço, prefiro acreditar que optam pela civilidade. Afinal, elas são ilustres moradoras da Capital do País, e precisam ser exemplo de respeito à coletividade. Aqui há muita gente formada que não sabe disso.
      Numa olhada mais detalhada, parecem me olhar de volta, e como se estivessem ouvindo meus pensamentos; imagino-as dizendo:
      -Ei! “Aqui é pequeno, mas dá pra nós dois”.

      Danyel Barros Galvão. - PRONATEC
CURSO DE PROGRAMADOR DE SISTEMAS - IF ZONA RURAL




                   VISÃO DE BRASÍLIA - DF

Nenhum comentário: