terça-feira, 15 de outubro de 2013

NÃO PERMITA DEUS QUE EU MORRA, SEM QUE DESFRUTE DO DAS BELEZAS DO VIZINHO, CABRA DA PESTE

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o bem-te-vi
As aves que ali cantam
Não cantam como as daqui.

Nossas crianças tem muita fome
Nossa vida mais carência
Nossas ruas mais fumaça
Nossas cidades têm doença.

Minha terra tem calor
Tem um clima diferente
Às vezes gosto do frio
Mas não dispenso uma terra quente

Em pensar sobre os problemas
Que eu encontro na pesca e na caça
Me pergunto se tem beleza
Ou se tem apenas desgraça
Minha terra tem muita gente,
E hospitaleiras encontro em massa.

Não permita Deus que eu morra
Sem conhecer todo o Nordeste
Sem que desfrute das belezas
Do vizinho, cabra da peste
Sem que veja as calçadas
Onde bênçãos o povo pede.

Marta Joane - Turma 4103

Nenhum comentário: