sexta-feira, 4 de outubro de 2013

NO SERTÃO, A CHUVA É MOTIVO DE SAUDADE NA RECRIAÇÃO DOS ALUNOS: Quanta saudade do Cheiro da Terrinha Molhada

MINHA INFÂNCIA - Jaqueline da Silva e Cleyton Santos

Oh! Que saudades que tenho da minha vida no campo,
 da minha infância 
de correr de pés descalços
 no meio do campo.

Ah! Que saudades tenho de viver a minha vida
 perto da natureza,
a cada manhã que  acordo
 sinto o cheiro da terrinha molhada.

As minhas noites de alegrias,
 de sentar rodeado com a minha família, em uma fogueira.
Na cidade me sinto um caipira,
 mas no meu interior me sinto um doutor,
 tenho saudades de acordar  e ouvir o cântico dos  passarinhos,
 ver os pássaros alimentando  seus filhotes.
Saudades das minhas noites de melodias,
sinto saudades do meu  mundo
 em um sonho dourado,
  de respirar  alma inocência

 e sentir os perfumes das flores.


TEXTO DE LUCIANO CASTRO - TURMA 4103

Minha terra tem Goiabeiras
Onde canta o Sabiá;
Os Pássaros que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Meus Jardins têm mais Flores
Os meus bosques têm mais vidas 
Minha vida, meus amores.

Então, solitário, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem Goiabeiras
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem mais amores
Que nunca mais irei encontrar
Então solitário, à noite
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem goiabeiras
Onde canta o Sabiá.

Não permita o Cristo que meu amor morra;
Sem que eu ande por lá
Sem que eu desfrute dos seus beijos
Que jamais irei encontrar
Sem que visite minhas goiabeiras
Onde canta o Sabiá. 




Nenhum comentário: