segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Participação do Profº Silver Jonas no VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia

VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia
Tema: “Cuidando da Saúde do Planeta”. Porto Alegre, 25 a 28 de novembro de 2013.

Quero agradecer ao IF SERTÃO-PE por me oportunizar a participação nesse congresso. Voltei muito animado com o que vivi nesses dias em Porto Alegre, estamos conseguindo mudar nosso planeta para uma situação mais saudável, mesmo com todo atual pujante agronegócio brasileiro. Existe um grupo muito grande de pessoas interessada nisso. Participaram mais de 4000 pessoas no congresso, 1055 trabalhos acadêmicos publicados na Revista Brasileira de Agroecologia (B3), e havia uma sintonia, um sonho comum, um pensamento novo que poderá nos ajudar a sair da crise que nos metemos, um pensamento diferente daquele que criou a crise, parafraseando Albert Einstein que foi citado pelo teólogo Lonardo Boff, na palestra de abertura do evento.

Segundo o teólogo, devemos parar de pensar que a terra nos oferece recursos naturais, ela nos oferece sim bondades da natureza. Falou-se de Gaia e de Pachamama (da língua quíchua Pacha, "universo", "mundo", "tempo", " lugar", e Mama, "mãe", "Mãe Terra"). Eu, também teólogo, diria que na terra dispomos das bênçãos de Deus.

Boff citou algo muito interessante: o legado do primeiro satélite artificial a entrar em órbita em 4 de Outubro de 1957, o Sputnik. 1º, vendo a terra somos uma única humanidade, 2º, passamos a ter uma consciência planetária, 3º, somos uma terra de extrema fragilidade flutuando no nada do espaço.

Ainda comentando a fala de Boff, estamos crucificando a terra; se não fizermos um pacto estaremos arriscando a verdade da vida. Estamos sendo hostis com a terra, estamos doentes porque não estamos cuidando dela, porque ficamos antropocêntricos, esquecemo-nos da nossa essência humana, que advém do termo “húmus”, que significa terra boa e fértil, terra arável e cultivável. Estamos num exílio, longe da nossa origem, desligados. Precisamos de uma religação com nossa origem, com nosso Deus.

Todos os seres vivos não são muito diferentes, possuem os mesmos 20 aminoácidos essenciais, 4 bases fosfatadas que são a base do mesmo tipo de codificação da vida chamado DNA. A ecologia que ensina desde a espécie de indivíduo, as populações, as comunidades, os ecossistemas, os biomas, a terra, cooperam entre si para manterem a vida, não é uma competição vencida pelos mais fortes e evoluídos. A terra é um ser vivo, que se mexe, é vida, que obedece a comandos de uma complexidade e perfeição que nos causa temor e tremor. Nós estamos aqui para cuidar dela. Cuidar da Saúde do Planeta. Ou não? Estaríamos aqui apenas para enriquecer com os materiais valiosos aqui existentes?

Com a agroecologia prega-se essa origem dos sentidos da humanidade e do planeta, evocamos a cooperação que nos é inerente, sentimento e paixão nos são naturais, razão sensível nós temos e devemos usá-la. É na paixão que residem os sonhos para mudar a realidade, a ética do bom samaritano.

Alguns dos palestrantes estrangeiros mais importantes foram todos unânimes em dizer que o Brasil hoje é liderança em agroecologia, considerando que temos legislações, grupos, redes, recursos, experiências, projetos. Isso foi dito por Miguel Altieri (UC Berkeley/SOCLA), Stephen Gliessman (UC Santa Cruz), Eduardo Sevilha Guzmán (Univ. Córdoba), Manuel Gonzalez de Molina (Unid. Pablo de Olavide/SEAE).

É necessário comunicar isso ao Brasil. Nossa grande imprensa vem barrando essa notícia. Nós precisamos divulgar o que somos e fazemos.

Silver Jonas Alves Farfan. Professor IF SERTÃO-PE, Petrolina Zona Rural.

02 de dezembro de 2013.

Um comentário:

Profª. Antonise Coelho disse...

Caro Professor Silver Jonas,
Nosso blog lhe agradece por sua participação em nossos comentários, bem como por inserir o texto sobre o Congresso Nacional de Agroecologia.
Sabemos que as reflexões se tornam mais contudentes, necessárias e com possibilidades de grandes mudanças, quando o nosso comportamento muda. E assim, a natureza nos parabenizará. Aguardaremos outros textos e comentários. É valiosa a sua contribuição para nossa aprendizagem. Um grande abraço. Professora Antonise