domingo, 28 de setembro de 2014

Participação dos alunos do Curso de Tratorista - PRONATEC - Tema: uso da internet, seus perigos e benefícios.

                 “ A internet só traz benefícios? ”


A internet é de suma importância nos dias atuais, pois serve como uma rápida fonte de pesquisa, informação e comunicação. Na escola, no trabalho ou até mesmo em casa o uso da internet tornou-se frequente e uma ferramenta necessária. É possível comunicar-se com pessoas a quilômetros de distância, fazer pesquisas em segundos, ter acesso a revistas, jornais, fazer compras e pagamentos sem utilizar meio de comunicação tão eficiente e prático, até mesmo a dona de casa pode consultar receitas e ainda conseguir realizar suas tarefas habituais.
Diferentemente, no passado onde a internet era mais acessada apenas em locais como Lan houses, as pessoas hoje em dia têm acesso à mesma em qualquer lugar e a qualquer momento, através de celulares, tablets, smartfones, entre outros aparelhos, que vem possibilitando uma maior comunicação.
Apesar das diversas vantagens que a internet possibilita, se não usada de forma moderada e consciente, pode prejudicar e trazer riscos a quem a utiliza. Pessoas são enganadas, por não conhecerem com quem estão se comunicando em salas de bate papo, por exemplo, outros muitos ficam viciados no mundo virtual e esquecem de que tem uma vida fora das redes sociais. Crianças podem acabam tendo acesso a sites pornográficos e até mesmo ser aliciados por adultos e ainda existem pessoas que perderam a capacidade de comunicar-se pessoalmente com a família e amigos, por acabarem passando mais tempo navegando na internet do que vivendo verdadeiramente.
A internet é um mundo cheio de ofertas; umas benéficas e outras perigosas, é uma linha tênue, cabe a cada um decidir o que aceitar. É necessário saber o que fazer, quando fazer e por quanto tempo fazer, para utilizá-la de forma a trazer benefícios para quem usufrui da rede.

- Nayara Ranyelle da Silva ( Aluna do Curso de Tratoristas - PRONATEC)


Discussões e Produções Textuais sobre os principais desafios e problemas enfrentados pelos Jovens da atualidade.


Nossos Alunos do PRONERA elaboram textos sobre os principais problemas da juventude moderna brasileira; como uso crescente de drogas, influência da mídia, a falta de impunidade legal e o reflexo disto na sociedade Brasileira.



A juventude nos Tempos Atuais

A juventude no Brasil está vivenciando uma realidade de mudanças, principalmente quando se trata de educação e formação do caráter. Assim como quanto aos direitos e deveres,que estão deturbados.

Devido às leis que garantem aos jovens infratores menores de idade que lhes garantem uma certa proteção, permitindo que fiquem impunes de seus crimes e não respondam por seus atos. A permissividade legal e em contribuição, temos a tecnologia avançada e os meios que ela nos trouxe (televisão, internet, vídeo game, etc.) que são usados muitas vezes de má influência pela mídia ou pelas pessoas.
Atitudes como estas agravam à situação do país, levando somente a um processo de “desvio” comportamental, quando se fala de integração social dos adolescentes (drogas, envolvimento com a criminalidade, violência e comportamentos antissociais.)  Um dos constantes perigos e problemas tempo atual é o caso de uma gravidez precoce, ocorrem diversos problemas (convivência familiar, prostituição, problemas para a saúde do bebê e da mãe, depressão, entre outros problemas.)
No geral para essas pessoas que passam ou praticam tais coisas, as chances no mercado de trabalho são mínimas possíveis, principalmente quando há falta de conhecimento, tendo em vista que é fundamental uma educação de qualidade para a formação e qualificação de um bom profissional num mercado tão disputado e exigente.

-Francisco Bezerra da Silva Turma 6101- (PRONERA)‏ 

 
As Drogas e o Adolescente
  Sabemos que os jovens são a maior parte da população que estar mais propícia ao uso de drogas. Sendo que muitas vezes que os jovens experimentam são guiados pela curiosidade, sendo a droga que mais desperta a vontade, e de maior interesse ao ser provada é o crack pelo fato de ser a droga de, mas fácil acesso e de preço popular. No estado de são Paulo, quando acompanhamos as notícias, percebemos que os adolescentes que experimentaram a droga pela primeira vez obtiveram através de um amigo ou na própria escola.
 Provam muitas vezes apenas movidos por sentimentos de especulação, saber como funciona e qual seu efeito. No primeiro momento ela passa a sensação de prazer, liberdade e alegria.  Os jovens pensam que estão no controle daquilo e que só foi uma única vez não irá acontecer novamente, acham que têm o domínio da situação, porém a cada problema que o jovem não consegue resolver, o caminho das drogas acaba sendo válvula de escape.

 No entanto o governo na tentativa de acabar com as drogas procura mecanismos para tirar os jovens das ruas, com políticas públicas, dando a oportunidades de emprego e criando clinicas de reabilitação que atendam, ainda que com pequena capacidade de suporte, porém a falta de pessoas especializadas para lidar com essa situação é bem escassa.
- Emilia S
 
 
 
 
ilva  

Estudantes do Instituto Federal contam experiências vividas no Carnaval e a Semana Santa.

            
                         
                       Semana Santa

                
   Todos os anos eu e minha família nos reunimos para a comemoração da semana santa, sempre costumamos jejuar no café, e quebramos o jejum com uma deliciosa ceia no almoço, que minha mãe prepara todos os anos. Lembro-me de quando eu era criança, e não compreendia o que se passava, por que tínhamos que não tomar café? E por porque chamam de sexta -feira santa?
Era tudo tão curioso e interessante, tudo tão gostoso com tanta comida. A família reunida com; tios, tias, primos e primas.  Infelizmente toda a alegria se passava quando os famosos “caretas” chegavam. Nunca entendia por que eles saiam pedindo alimentos para depois bater em quem tentava pegá-los, e nem por que chamavam o boneco de judas. Boneco aquele que depois de todos os alimentos serem pegos era rasgado completamente e as vezes até queimado. Hoje que não sou mais criança já compreendo melhor sobre essa data comemorativa e não tenho mais medo do “careta”, apenas boas lembranças e ótimos momentos desta data que sempre estarão comigo.

- Alvani Henrique de Souza‏ (PRONERA)
Alvani ( farda do IF ao lado de Rafael) em sala de aula
                
Minha História de Carnaval

Como sou evangélica, no feriado de carnaval sempre vou para o retiro espiritual da minha igreja (Igreja Batista no N-4). São dias edificantes, onde louvamos e adoramos a Deus. Temos momentos de lazer como gincanas, banhos de piscina, jogos, enfim, são dias alegres, de comunhão com Deus e com os irmãos.
No retiro espiritual o cronograma de horários é bem rigoroso, temos hora certa para tudo, comer (café da manhã, almoço, jantar), para dormir e para acordar, além de ter várias regras. Embora isso pareça chato, são coisas necessárias para que possamos aproveitar ao máximo esses dias, pois para Deus devemos fazer tudo com ordem e decência.
Todos os anos faço o possível para estar presente no retiro. Lembro-me de certo ano, que nessa época estava chovendo bastante, e como grande parte das pessoas dormem em barracas, com a chuva forte, acabou entrando água nas barracas e todos nós tivemos que correr para a casa que havia no local. Apesar das roupas, lençóis, e até mesmo as pessoas terem ficado molhados, foi muito divertido e todos os anos seguintes lembramos com alegria desse fato. 

Nayara Ranyelle da Silva ( Aluna do curso de Tratoristas - PRONATEC )



O gavião
Um certo dia de domingo eu e meu pai, Nelson Coelho estávamos ligando a bomba de água para irrigar a plantação de milho e capim. Quando meu pai viu um gavião enganchado na berra do arrame Farpado da cerca, e sentiu incomodado com aquela cena, eu nunca havia visto meu pai daquela forma com tanta compaixão, de uma ave Rapina, ele então cortou a cerca e levou a ave para casa.
Cuidou dela durante oiti meses com muita dedicação, a alimentou, deu-lhe água, banhou -lhe e tratou de seus Ferimentos. Quando finalmente o gavião se recuperou e meu pai disse a ave “você agora deve voar, seja livre”, soltando-lhe. Sentindo-se agradecida para com meu ele, a ave cujo nome dado por meu pai de magneto, pousou no chão e procurando entender olhou de cima a baixo como se dissesse: “muito obrigado”, partiu. Ainda hoje, a ave passa por lá e pousa ao pé da Algaroba e observa meu pai.


Alunos: Radamés Dias, Aureo Caique, Mário Cesar - Ensino médio -Técnicos em Agropecuária (T.4206)

UMA FÁBULA PARA PENSAR


A estudante de Língua Portuguesa Nayara Ranyelle da Silva, produziu uma belíssima fabula que nos mostra uma grande lição. A fábula é um gênero narrativo, de caráter moral, cujos papéis principais são desenvolvidos por personificações de animais, objetos ou mitos. Por meio dos diálogos entre os bichos e das situações que os envolvem, procurando transmitir sabedoria de caráter moral ao homem. Assim, os animais nas fábulas, tornam-se exemplos para os seres humanos.

                              A gata e o cachorro

Certo homem morava em uma velha casinha no meio de uma floresta há muitos anos, tinha como melhor amigo e companheiro de grande jornada um cachorro e uma gata muito preguiçosa. Todos os dias o cachorro saia para caçar, enquanto a gata passava o dia lambendo os pelos e dormindo. O cachorro nunca se incomodou com essa situação, até que um belo dia o cachorro saiu para caçar e encontrou com uma cobra que lhe disse:
- Você é muito besta. Todos os dias trabalha para sustentar essa gata que não faz nada, ela deve rir de você.
O cachorro não se importou com o que a cobra disse e continuou a sua caça. Quando avistou sua caça, um coelho correu em sua direção e o pegou. Ao chegar na casa entregou ao dono, que o preparou para o jantar. A cobra mais uma vez foi ao encontro do cachorro e lhe disse:
-Você está vendo mais uma vez você trouxe comida pra casa, a gata só dormiu, é a primeira a comer e sempre tem o melhor pedaço. O seu dono gosta mais dela do que de você.
O cachorro ficou com as palavras da cobra na cabeça, e começou a procurar uma forma de mandar a gata embora. No meio da noite quando todos dormiam, o cão foi até a gata e disse:
-Preciso que você venha comigo rápido.
A gata depois de muita insistência do cachorro foi com ele. Eles andaram, andaram, andaram, até que muito distante o cachorro fugiu e a deixando-a sozinha na mata.
Ao chegar na casa, já pela manhã o homem já acordado procurava pela gata, desesperadamente, o cachorro que acabara de chegar, concluiu que realmente a cobra estava certa, o homem gostava mais da gata do que dele, que todos os dias o servia fielmente. Indignado e pronto para ir embora, o cão encontra com um pássaro que lhe disse:
- Você não tem vergonha, deixou a pobre gata no meio do mato por ciúmes.
O cachorro respondeu:
- Sirvo a esse homem fielmente há muitos anos e ele gosta mais de uma gata que só dorme.
O pássaro então resolveu contar-lhe uma história:
- Há muito tempo atrás quando você era só um cachorrinho recém-nascido, o homem o encontrou na mata, abandonado, te pegou e levou você para casa. Você não comia nada do que o homem tentava lhe dar. Você já estava muito fraco e quase morrendo, quando uma gata que amamenta os filhotinhos começou a amamenta-lo também, e assim você sobreviveu. Depois de alguns dias uma onça comeu os gatinhos e a gata desde então ficou muito triste, e passou o resto da vida apenas dormindo e acordando só pra comer. O homem com muita pena da gata e muito grato a ela por ter salvado a vida do seu melhor amigo sempre lhe dar a melhor parte da sua comida.
O cachorro com os olhos cheios de lágrimas correu desesperadamente para tentar achar a gata e não descansou até encontrá-la. Levou-a de volta para casa, depois desse dia passou a admirá-la e a tentar fazer seus dias mais felizes.


- Nayara Ranyelle da Silva

sábado, 20 de setembro de 2014

PROPOSTA DE PRODUÇÃO TEXTUAL SOBRE A POLUIÇÃO NO VELHO CHICO

O QUE IREMOS FAZER PARA MUDAR O CENÁRIO DE POLUIÇÃO DO VELHO CHICO?

- PROPOSTA DE PRODUÇÃO DE TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO PARA OS ALUNOS E ALUNAS  DE AGROPECUÁRIA - ENSINO MÉDIO E PRONERA DO IF SERTÃO PE - CAMPUS ZONA RURAL.

VAMOS INICIAR A SEMANA COM COMENTÁRIOS E TEXTOS SOBRE A POLUIÇÃO DO VELHO CHICO.

Ao pedalar hoje pela manhã, sábado, numa atividade que também foi contemplativa, resolvi levar uma pequena câmera. Era metade da manhã e o calor já era bem forte, mas não pude deixar de registrar essas imagens do nosso velho Chico. E fazer um "Self" como dizemos agora...
Constatar o quanto o nosso rio está seco. Vejam a Ponte Presidente Dutra. Fico preocupada porque sei que pouco estamos fazendo para mudar este cenário. O que serão das futuras gerações? Como mobilizar a sociedade para tamanha falta de consciência por um legado que está passando por sérios problemas. Vejam as baronesas que invadem as águas... e assim a poluição toma conta do nosso patrimônio. Petrolina comemora 119 anos. E o que iremos fazer para os próximos anos?




 

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Visitas às Escolas Rurais de Curaçá -BA com as bolsistas do Projeto PIBEX


As Professoras Antonise e Patrícia Pereira com bolsistas Francimária e Raíra visitam Município de Curaçá- BA para contação de histórias em escolas rurais como parte do Projeto de Extensão do Instituto Federal Sertão PE - Campus Zona Rural.  Esta atividade aconteceu no dia 17 de setembro de 2014.




Bolsistas Francimária e Raíra fazem contação de histórias para as crianças da 
Educação Infantil, turma multisseriada.
 
 

                                                               
Após contação de histórias, as crianças fazem desenhos, pintam partes, elementos narrados.

Envolvimento, atenção e participação das crianças neste momento lúdico
Professora Patrícia  Pereira com o livro de Sílvia Ortoff - MARIA VAI COM AS OUTRAS



A seca é a paisagem encontrada durante as visitas. Contraste com o rio São Francisco com as suas águas claras e convidativas ao banho.

Em sala de aula, Professora Patrícia Pereira conta histórias para as crianças

Professora Edileuza com seus alunos

Durante o percurso é possível observar os diferentes cenários do município baiano.

Cantinho da Leitura na sala da Professora Edileuza - EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Escola da localidade de Pedra Branca

Professora Eliana e seus alunos, com a Professora Patrícia Pereira e as bolsistas

O Retorno à tarde foi realizado foi pela Balsa nas águas do Velho Chico. Passamos em Orocó e pudemos perceber os contrastes entre os elementos da natureza e o quanto a pesquisa é envolvente para nós, professores de uma Instituição que tem muito a realizar.

Professoras Patrícia e Antonise e o colega de trabalho, Ivan.
Balsa na qual fizemos a travessia nas águas do velho Chico.
 
ÚLTIMA ATIVIDADE DO PROJETO DE EXTENSÃO: LEITURAS E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS EM QUATRO ESCOLAS RURAIS DE CURAÇÁ-BA.  OS ALUNOS SÃO BEM-VINDOS À IMAGINAÇÃO ÀS MARGENS DO RIO SÃO FRANCISCO.
 
O Projeto proporcionou o encontro com professores que trabalham no município de Curaçá -BA e se deparam com grandes desafios. Para nós, coordenadores do Projeto também é um desafio incentivá-los a trabalhar com a leitura e a escrita. Trazer a leitura para sala de aula não apenas como recurso, mas como a prioridade para que haja aprendizagem. Sem livros e interesse, dificilmente mudaremos a atual situação das Escolas Rurais. 
 
 

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Primeira Visita a Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida integrada ao Projeto ( PIBEX) do Blog

A Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida, localizada no Perímetro Irrigado Nilo Coelho - N4 estará participando da realização do projeto de pesquisa, referente ao Blog Tempo da Palavra como instrumento de cultura, linguagem. No nosso primeiro contato,  reunimo-nos com a Direção e Professores de Língua Portuguesa para discutir os preparativos e iniciarmos os trabalhos e planejamentos de oficinas que serão realizadas.



Professoras de Língua Portuguesa Lourdes Leal e Cristina Andrade, da Escola Nossa Senhora Aparecida trocando ideias com a professora Antonise e discutindo acerca do projeto. 



Professoras Lourdes Leal e Cristina Andrade.


Professora Maria Auxilium Coelho, na sala de leitura e multimídia onde os alunos da escola podem pegar livros para leitura.   


Na sala de multimídia encontramos cartazes com frases de incentivo à leitura para os alunos.



Cartaz feito pela aluna Jakelliane Morais da Silva do 8º ano da escola Nossa Senhora Aparecida, ilustrando o conto Assustadiço: A pecadora e o Funesto Amor, de Onildo Moreno.



Um belíssimo conto que também será tema de estudo nas aulas de língua portuguesa da professora Antonise Coelho de aquino.






A professora Maria Auxilium, que é incentivadora da leitura e responsável pela sala de leitura e multimídia durante os horários da manhã.  


Espaço da escola que poderá ser usado nas oficinas de leitura. 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Produções Textuais Com Temática: "O Futuro da Terra"

Alunos do Ensino Médio Técnico em Agropecuária (T. 4206) elaboram textos e trazem reportagens sobre os principais problemas da atualidade que afetam a região do vale São Francisco: Desmatamento da caatinga, os efeitos dos agrotóxicos no Vale e a Poluição das águas do rio São Francisco  pelos esgotos.  De acordo com a professora Antonise Aquino,  o tema proposto "O futuro da Terra" oportunizou  a reflexão e  a apropriação de uma temática que falasse de aspectos regionais.
Foram realizadas atividades em grupos para leitura e produção textual com meu apoio como bolsista deste Projeto de Extensão. Bárbara Roscelis ( Bolsista PIBEX)


                                            Bioma Caatinga

Atualmente as devastações do bioma caatinga vem aumentando de acordo com o crescimento populacional e agrícola.  Como consequência o aceleramento contribui para desertificação e extinção de espécies da flora e fauna. Os resíduos de agrotóxicos e outros produtos químicos despejados em aguas correntes prejudica a saúde humana.
As devastações do bioma caatinga está cada dia mais prejudicada, existindo apenas 11% de sua preservação decorrentes das queimadas e desmatamentos para a implantação de habitações, agrícola e pecuária. Lembrando que como consequência existem espécies em alto risco de extinção alguns exemplos são: a aroeira, umburana, de cambão, umbuzeiro, tatu bola, ararinha azul. O uso de agrotóxicos é prejudicial tanto diretamente ao ser humano, quanto indiretamente através do alimento que recebeu o produto. Além do descarte inadequado do produto que em contato com a agua pode fluir em lagos, rios ou poços e logo em seguida vir a ser consumida.
Pode-se reconstituir a fauna e flora, através do plantio e da preservação das espécies naturais e, diminuindo a caça indiscriminada e o contrabando, com a inclusão de um projeto para recolhimento correto das embalagens de agrotóxicos, tubulações para o escoamento dos excessos do produto para um lugar adequado.


- Brunna Luiza, Josyely Bezerra, Mateus Henrique e Jaqueline Gomes.
 
Turma: T.4206


Alunos Gabriela, Clodoaldo, Igor, Janaina da turma 4206

 Brunna Luiza, Josyely Bezerra, Mateus Henrique e Jaqueline Gomes. Turma: T.4206



Francisco Micael, Jamis e Alexandre


                    Os efeitos dos agrotóxicos no vale do São Francisco

A utilização de agrotóxicos no vale do São Francisco possui efeitos adversos que podem ser positivos no que diz respeito ao aumento da produção agrícola, e negativos em seus efeitos vindo a prejudicar os trabalhadores, consumidores e o meio ambiente.
A utilização dos agrotóxicos, previne o ataque de pragas e de fungos que trazem problemas a produção, tornando as plantações mais protegidas, e possibilitando a produção de culturas que naturalmente não seriam possíveis em nossa região. Como a uva que é originada de regiões frias, que sem a utilização de produtos químicos para auxiliar a sua floração e crescimento não teria sucesso na nossa região. O uso de defensivos em excesso causa mal estar e doenças que podem levar morte aos trabalhadores que passam muito tempo expostos aos mesmos. E a exposição dos alimentos aos defensivos é tão excessiva que os donos de plantações não consumem os alimentos que eles mesmos produzem.
 Os defensivos que são aplicados acabam prejudicando muito ao solo, pois os fazendeiros não fazem o vazio sanitário, que consiste em um período de descanso para o solo, causando erosões e também danos as fontes de agua, como o rio São Francisco. Pois a chuva leva os defensivos do solo para os rios envenenando assim, tanto a agua quanto os seres que nele habitam.
Os agrotóxicos podem ser benéficos, quanto maléficos, cabe ao produtor ter sabedoria ao utiliza-lo.

 - Camila, Joao Victor, Raryson, Ramon e Katharina. T. 4105

Esgotos poluem o Rio São Francisco


A população de Juazeiro e Petrolina cobra das autoridades locais uma solução para a quantidade de detritos que são lançados diariamente pelos esgotos, no Rio São Francisco. “O problema é sério e merece atenção imediata”. O alerta vem do ambientalista Vitório Rodrigues, presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Petrolina.
Segundo Rodrigues, o município pernambucano polui mais do que Juazeiro, mas as duas cidades são responsáveis diretas pela sujeira jogada no rio. “Há três anos estamos monitorando a água com três pontos de coleta na área central da cidade, onde são despejados, por segundo, 250 litros de esgoto sem tratamento”, esclarece.

No resultado da análise, foi registrada a presença de 16 mil coliformes fecais para cada 100 ml de água. Petrolina tem, atualmente, apenas três lagoas de estabilização funcionando das 11 existentes. Em Juazeiro, só existem três, e muitos dos esgotos no centro da cidade foram desviados para a Ilha de Nossa Senhora, tirando o problema da vista da população, mas não do meio ambiente.
O crescimento da densidade populacional resulta em mais produção de lixo, e a excessiva presença de dejetos nas águas acumula nutrientes que possibilitam o aparecimento de plantas conhecidas como baronesas, que se aproveitam das águas tranquilas para uma reprodução rápida. As plantas são responsáveis pela poluição visual, surgimento de mosquitos e por dificultar a navegação e a oxigenação da água. Em Juazeiro, a presença das baronesas não é tanta quanto em Petrolina, pois a correnteza do rio é mais forte na margem baiana. Em Petrolina, o fato pode ser explicado pela existência de uma zona de refluxo que impede que a planta seja levada pelas águas do rio.

O esforço para tentar mudar o quadro poluidor vem de organizações não-governamentais, escolas, faculdades, colônia de pescadores, Ministério Público, Ibama e sociedade civil, que preparam campanhas no sentido de sensibilizar empresas agrícolas, indústrias e poderes públicos para se engajarem na luta em defesa de um rio limpo.
Um projeto ambiental e urbanístico, ainda sem data de implantação, do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Petrolina pretende revitalizar a orla da cidade com reflorestamento e recuperação da mata ciliar. Em Juazeiro, o meio ambiente conta com o projeto Juazeiro Verde, que tem por objetivo recuperar áreas verdes e proporcionar uma vida mais saudável à população. “Se cada prefeitura fizesse o tratamento dos esgotos, a situação poderia não ser tão grave”, opina o ambientalista Vitório Rodrigues. Embaixo de uma estrutura que foi ampliada em 1994 e inaugurada como Terminal Hidroviário, funciona um ancoradouro para as barcas que fazem a travessia de passageiros das duas cidades. A secretária Telma Rocha Rios mora em Juazeiro, sempre vai a Petrolina de barca e se diz indignada com a falta de atenção à limpeza por parte da prefeitura em relação ao local. “Quantas pessoas têm que fazer a travessia todos os dias e são obrigadas a conviver com lixo e sujeira?”, argumenta.


O vendedor ambulante José Cesário Souza mantém uma banca de doces há 11 meses no local, a poucos metros de um dos esgotos da cidade. Com 60 anos e sete filhos, Souza diz que “a necessidade faz com que a gente não possa escolher muito. Aqui, o movimento é maior do que o lugar onde eu trabalhava”, comenta.
Ao lado da banca de José Cesário, lavadores de carro trabalham usando a água do rio, criando poças de lama. Próximo a eles, um rapaz vende frutas numa carroça e, mais adiante, toda a água suja dos banheiros de alguns bares escorre em direção ao rio, onde as crianças costumam tomar banho.
A falta de saneamento e a ingestão de água ou alimentos contaminados podem causar doenças como cólera, febre tifoide, hepatite A, dengue, esquistossomose e amebíase.

- Reportagem escolhida por:  Radamés Dias. T.4206

  

domingo, 7 de setembro de 2014

NOSSOS ALUNOS DO PRONERA EXERCITAM A ESCRITA EM SALA DE AULA - SETEMBRO 2014


Entrando em contradições


            A juventude brasileira vem se relacionando em todos os aspectos, desde a forma de agir em casa com os pais, até mesmo a maneira de se expressar nas ruas com os amigos.

            Desde o princípio até os dias atuais, os jovens buscam lutar por seus direitos e sua liberdade de expressão, lutando por seus ideais de uma forma diferente, cada um com seu jeito de ser. A maioria das vezes os adolescente se revolucionam por não terem aquilo que desejam da familia (amor, atenção, e ate mesmo o respeito, às vezes também bens materiais). Se revoltando e assim entrando no mundo das drogas e do crime. A realidade que hoje é vivenciada não nos traz bons exemplos para  a sociedade. Sociedade esta que está nos deixando cada vez mais confusos com alguns problemas relacionados com jovens da nossa idade (entre 18 e 21 anos) nos fazendo entrar em contradições sobre o que é certo e o que é errado. Onde acabamos entrando em um mundo sem volta.

            Cabe aos pais conversar com os seus filhos de uma maneira que os deixem com a mente aberta e clara sobre o que se deve fazer para evitar que o futuro seja prejudicado com um vicio (drogas) com um crime, gravidez precoce ou ate uma DST ( Doença Sexualmente Transmissível).

            Muitos pais não têm a coragem de falar sobre isto com seus filhos e acabam deixando seus filhos entrar em um caminho onde será praticamente impossível  resgatá-los.

            Tudo isso acontece por que os pais exigem muito dos filhos e esquecem de educá-los de maneira boa o suficiente, para haver caráter e responsabilidades para que o jovem filho se torne um bom trabalhador e cidadão no futuro.

Hayla Dayana e Marciana - Alunas da turma 6101 - Pronera - IF SERTÃO CAMPUS RURAL


IX JINCE - INTERAÇÃO ENTRE PROJETOS DE LEITURA DOS OUTROS CAMPUS DO IF SERTÃO - PE

Professora Ana Patrícia - IF OURICURI com a Bolsista do Projeto de leitura no Ensino Médio

Professora Aparecida Barros com Bolsista do Projeto de Agentes Literários -
IF SALGUEIRO

Projeto de Extensão - AGENTES LITERÁRIOS:DISSEMINANDO
 POESIAS PARA AUTORREFLEXÃO - IF SALGUEIRO


Visitantes percorrendo os stands durante Apresentação dos Pôsters -
dia 29 de agosto de 2014

Visitantes e Alunos no IX JINCE

IX JINCE - Jornada de Iniciação Científica do Instituto Federal de Educação Sertão Pernambucano -

IX JINCE - Jornada de Iniciação Científica foi mais uma oportunidade de participação das atividades do Blog Tempo da Palavra. Nesta fase inicial como projeto cadastrado, o Pôster foi a forma de apresentação solicitada pela Organização. Parabéns a todos que participaram deste grande evento da nossa Instituição. E aos visitantes, obrigada pelo carinho em ouvir os detalhes.



Bárbara Roscelis - Bolsista  - apresentando detalhes do  Projeto do Blog Tempo da Palavra aos visitantes
Jason Ribeiro - ex-aluno do IF SERTÃO PE em Agroindústria, grande artista e
estudante da UNIVASF prestigia apresentação do nosso Pôster. Valeu, Jason!


Presença atenciosa e emotiva do ex-reitor Professor Rildo na apresentação de Bárbara Roscelis. Após ouvir atentamente, o Professor Rildo fez considerações de aprendizagem a Bárbara e nos parabenizou pelo Evento.
Professora Aparecida Barros - IF SALGUEIRO ao conhecer o nosso Projeto do Blog Tempo da Palavra
 Troca de informações sobre o projeto  Agentes Literários realizado em Salgueiro.

Professora Antonise e bolsista - momento de concretização inicial
do Projeto de Extensão - 2014.