domingo, 30 de novembro de 2014

Apresentação do Blog Tempo da Palavra na 1ª Semana de Ciências Agrárias do Instituto Federal Campus Petrolina Zona Rural



 Semana de Ciências Agrárias do Instituto Federal Campus Zona Rural ocorrida nos dia 17 até o dia 20 novembro, teve a programação  voltada para a propagação da ciência e tecnologia no desenvolvimento social.  No dia 19 de novembro realizamos uma palestra apresentando " O Blog Tempo da Palavra" como ferramenta moderna e ativa da comunicação, avaliação e divulgação do ensino. O evento foi prestigiado com a presença dos alunos e professoras da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida, localizada no Perímetro Irrigado Nilo Coelho, em seguida após a apresentação tivemos o Grupo Musical formado pelos estudantes do Instituto que alegrou ainda mais a noite. 





Professoras Antonise e Ana Rita fazendo a abertura. 




Foi abordado sobre como o advento da tecnologia  se tornou algo tão amplo e presente no dia-dia dos jovens e da sociedade moderna atual. Daí a ideia de se utilizar desde recurso para a propagação do ensino nas aulas de Língua Portuguesa.  




Alunas da escola Nossa Senhora Aparecida assistindo a palestra.







Alunos acessando o Blog Tempo da Palavra.


Foram distribuídos folhetos falando a respeito do Instituto e do Campus.


Professoras de literatura Maria Auxilium e Cristina Andrade da Escola Nossa Senhora Aparecida que acompanharam os alunos e toda a programação da noite.



Grupo Musical do Instituto 





Participação toda especial da Professora Ana Rita cantando junto com o Grupo Musical agitando a noite.




Agradecemos a todos pela participação presente deste maravilhoso evento que oportunizou a socialização e interação com a comunidade, assim como a divulgação do nosso trabalho. Os aspectos abordados foram os métodos de ensino e o surgimento da tecnologia para o crescimento da comunicação e linguagem, e como a amplitude e o acesso a informação nos auxilia a alcançar novos horizontes.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Do texto: Árvores das novas revelações

Quanto ao desafio de ser um leitor os alunos do Instituto Federal do Sertão Pernambucano Zona Rural revelam a importância e a abrangência, de ter um olhar de leitura,  tão presente em nossas percepções, presentes em nossa vida que  modificam o ambiente ao nosso redor. Baseado no texto árvore das revelações os alunos com suas distintas opiniões relatam que ser um leitor vai muito mais além do texto.

Janelas da Leitura

A partir do momento que acordamos, começamos a ler mesmo sem querer. Quando abrimos a janela e olhamos o céu claro e azul, percebermos o sol brilhando lá fora logo interpretamos que o dia será ensolarado, quando nublado deduzimos que poderá ter ocorrência de chuva.
Nossos olhos são as janelas da leitura, nossa mente a porta de entrada que dá acesso a sabedoria, aprendizado e inteligência. Sou leitora pois através dos meus olhos consigo captar e ler tudo ao meu redor. Ler nos torna sábios e informados, ajuda a crescer cada vez mais melhores a cada dia.

- Sheila Emanuela Marques. Turma: 3221

A busca para ser um leitor

Eu sou uma pessoa que está na busca de ser uma boa leitora. Para ler bons livros e historias, pois da vida eu já sou leitor.
Sempre gostei de ver filmes de fatos reais e ouvir histórias que relatam a vida como ela é, valorizando-a, observar a natureza, obras de arte, fotografias com pessoas e paisagens de lugares. Para entender o que estas coisas me ensinam e analisar quais mensagens elas nos trazem, tirando as próprias conclusões. Na vida devemos ser leitores para tudo, estamos aqui para aprender e tirar lições sobre o que a mesma nos ensina, sendo autores de nossas próprias histórias e leitores de nosso mundo.

- Marta Damasleno Brandão. Turma: 3221

Versatilidade da leitura

Hoje existem vários caminhos para nos tornamos leitores, não apenas pelos livros que guardamos em nossas casas ou pegos em uma prateleira, também temos acesso a outras formas como: filmes, televisão, a internet e a livros online.
Com tantas fontes de informação me considero uma leitora, fazendo uso desses instrumentos facilitadores, não apenas para mim também para todos os que ainda tem dificuldade de abrir um livro e ler todas as páginas até o final
com a devida concentração. Todos estes recursos ao meu ver possibilita uma visão atualizada. Vendo filmes que misturam a ficção com realidade, solto a minha imaginação, ainda mantendo meu senso crítico com a leitura de jornais e sites de notícias.
Entretanto não considero o livro dispensável, o considero muito importante, apesar de ter uma grande dificuldade para esse tipo de leitura, que me falta o habito.

- Bruna da Silva Souza. Turma: 3221

domingo, 23 de novembro de 2014

Solidão Tecnológica


Estudantes de Enologia da VE 08 elaboram textos descrevendo a solidão e o mundo moderno, ligado a tecnologia e a sociedade. A relação entre o real e o virtual abordados por diversos aspectos e como estes se refletem no dia a dia do ser humano, baseados no texto dado em sala de aula "Sozinhos no meio da multidão" do sociólogo polonês Zygmunt Bauman que aborda esta temática em seu livro 44 cartas do mundo líquido moderno.

Universo de Solidão  

Quem nunca se sentiu sozinho em meio a uma multidão ou até mesmo em reuniões com os amigos e familiares não sabe o que é entrar num universo totalmente diferente do que estamos acostumados. Sentir-se só não é necessariamente se ausentar da companhia das pessoas, há casos que esse sentimento, se é que pode se denominar assim, se manifesta quando estamos rodeados por pessoas mais a sua companhia não é a melhor opção. Passamos a ter uma avalanche de pensamentos, que nos leva a entender e observar mais as pessoas que se isolam e as consequências da solidão.

 Se as pessoas estão ficando mais solitárias? De fato os seres humanos estão cada vez mais individualistas em seu próprio universo. Essas novas tecnologias tornam a comunicação cada vez mais indireta, no qual falar pelo celular com uma pessoa é tão fácil, do que falar pessoalmente com a mesma pessoa. A interatividade entre as pessoas de hoje não é igual a das pessoas de antigamente, fala-se que com a globalização as pessoas estão mais próximas, realmente só se for mais próxima dos computadores. 

Raqueline Souza. Enologia turma: VE 08

 Jovens Conectados 

A tecnologia está influenciando muitos jovens principalmente pela quantidade de aparelhos que são lançados a todo instante: como novos modelos de celulares, tablets que na maioria das vezes não são usados corretamente. 
A diversidade de telecomunicações propicia a uma falta de concentração e ao isolamento dos jovens. Em consequência disto os jovens estão deixando de viverem suas vidas, e colocando suas necessidades de lado, falando com pessoas desconhecidas e tendo conversas desnecessárias. 
Estão ficando desconcentrados, afastados e sem vontade de fazer quaisquer outras coisas mais produtivas e saudáveis. Os mesmos jovens esquecem que os mesmos meios de comunicação poderiam estar sendo usados para ajudar em uma emergência, na área de trabalho ou até mesmo nos estudos. Portanto, a tecnologia não é maléfica, já que a mesma também traz benefícios, é aquele que o utiliza que deve manuseá-la corretamente. Principalmente atualmente que há tanta diversidade e tantas portas ampliam a acessibilidade a todos. 

- THAYNÁ DA SILVA CARVALHO. TURMA: VE 08 ENOLOGIA


Viver sozinho com tanta modernidade 

Estar sozinho é algo que ninguém quer para si, porem infelizmente existem pessoas que ainda se sentem sós no mundo atual, isto não poderia acontecer num mundo com tanta modernidade e tecnologia, em redes sociais como Facebook, Twitter, Skype e tantos outros que foram criados para facilitar os relacionamentos. Não podemos ficar deprimidos, não estamos sozinhos. Nesse momento olhe ao seu redor, pessoas como sua família e amizades estão ai para ajudar, além disso devemos procurar viver em plena harmonia com sigo mesmo. 

- Cicero Dener Martins. Turma: VE08 Enologia 


Solidão em meio à multidão 

 Em tempos de massificação dos veículos de comunicação, o que era para aproximar as pessoas, acabou afastando-as, que preferem se isolar num mundo particular pertencente somente a elas e seus aparelhos eletrônicos. Computadores, tablets, smartphones, iphones entre outros. Tudo isso hoje faz parte da sociedade moderna, as pessoas já não são capazes de se imaginarem vivendo sem essas parafernálias. Todos esses itens associados a internet fez com que as pessoas se tornassem ilhas, no seu mundo tecnológico ultra moderno, os amigos trocados por amigos virtuais, as conversas se limitaram as salas de bate-papo virtuais, cartas substituídas por e-mails e até mesmo os românticos flertes como olhares e piscadas de olhos trocados por mensagens de texto via celular.
 E mesmo com todas essas formas de comunicação ainda é comum ouvir pessoas reclamando de solidão, falta de amor, atenção e companheirismo, e os altos índices de pessoas com depressão. Toda essa discussão remete a estória do pequeno príncipe de Atoine ScuntExupéry, na qual uma criança vivia sozinha com uma rosa, um dia sentiu a necessidade de sair do seu planeta a procura de amigos de outros planetas para se relacionar, até que então depois de muitos esforços finalmente encontrou um amigo.

 De fato é que se essas pessoas não priorizassem o uso desses aparelhos formando barreiras, elas sentiriam a necessidade de se relacionarem pessoalmente umas com as outras, tendo mais oportunidades de conversar “olhando olho a olho” de forma calorosa e efetiva. Resolveria o problema de solidão atual em meio à multidão do mundo moderno. 

- Denis Alexandre Teles de Souza. Turma: VE08 Enologia 


A solidão e a tecnologia 

A rapidez das informações é indiscutível para o mundo moderno, o acesso em massa a internet e as redes sociais são evidentes realidades que cada vez sobressaem –se em meio a constante pressa da sociedade. Diante da quantidade de informações do mundo atual, no qual a tecnologia é considerada sinônimo de desenvolvimento, o uso das redes tem facilitado as relações em diferentes dimensões, geralmente com o intuito de compartilhar informações, conhecimentos, interesses por coisas comuns. 
Dentro desse sistema virtual diferentemente do que muitos pensam tem aproximado pessoas e ideias, tornando –se palco para divulgações e muitos diálogos a respeito de diversos temas da nossa sociedade, causando inclusive mobilizações em massa. Como exemplo, diversos blogs com fóruns de debates sobre o meio ambiente, educação, política dentre tantos outros temas, o internauta além de ter acesso a informação encontra espaço para expor suas opiniões. Se tornando um meio de comunicação com grande influência, no qual os usuários se identificam como sites para relacionamento como Facebook, Twiter, Myspace, Skype e Msn. Criam vínculos sociais, compartilham gostos, informações, formam comunidades em torno de características comuns. 
Nesse tipo de rede e suas facilidades garante igualdade de direitos entre todos os que acessam, abrangendo diversas classes sociais com diversos interesses desde o lazer até mesmo ao preconceito e terrorismo. Acho coerente afirmar que as redes não criam comportamentos negativos, por que estes já existem na sociedade, apenas possibilita como ferramenta o anonimato; por perfis falsos ou na divulgação dos coisas ruins, a aproveitadores de pessoas inocentes do outro lado da tela como exemplo casos de pedofilia. Cabe aos usuários e cidadãos de valor estarem atentos aos conteúdos que pretendem acessar e divulgar. 

- Nadine Raissa. Turma: VE 08 


Solidão Virtual

O autor do texto “sozinhos no meio da multidão” fala da solidão de maneira complexa, já que se retrata das formas virtuais sempre com as pessoas estando online, sem ter tempo até mesmo para se sentirem sozinhos. Cada vez mais a mídia nos leva a estar conectados seja por qualquer assunto; moda, sexo, vídeos, jogos, assuntos polêmicos, da atualidade entre muitos outros. 
A verdade é que os jovens de hoje já não sabem viver sem estarem conectados, ao usarem desses artifícios como uma fuga de si, tornam o habito um vício a ponto de muitas vezes não conseguirem se desligar desse mundo cibernético. 
Os viciados virtuais se sentem perdidos fora do seu habitat quando estão desconectados. Nada melhor do que voltar as antigas maneiras e costumes de pegar o papel, lápis ou caneta e escrever com tranquilidade sem nenhuma abreviação, voltas as cartas que nos faziam refletir e nos deliciar, épocas que davam tempo para que as pessoas fossem mais verdadeiras e colocar pra fora seus sentimentos e vontades muitas vezes não ditas sufocadas pelo tempo restrito. 
E assim o medo da solidão é real, mesmo estando conectados com o mundo você se sente só. A falta de uma boa conversa pessoal com um amigo trazendo as sensações verdadeiras, o aconchego, o apoio e o conforto, que valem muito mais a pena do que apenas conversas frias virtuais.

- Caio Filipe Angelim Cabral. Turma: VE 08


sábado, 1 de novembro de 2014

2° Café Literário na Semana Nacional do Livro e da Biblioteca na Rede Federal


O café literário ocorreu durante a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, com participação aberta ao público. Estudantes, professores e funcionários do Instituto Federal do Sertão Pernambucano Campus Zona Rural, amantes da literatura tiveram a oportunidade de expor seus pensamentos e ideias sobre os livros e poemas que gostam de ler, em um ambiente dinâmico e descontraído no qual cantaram músicas, declamaram poesias de autores brasileiros famosos e até mesmo suas próprias criações poéticas



Professora Antonise fazendo a abertura do evento na Sala de Leitura da Biblioteca do instituto Federal Zona Rural.











Alguns dos livros lidos e recitados durante o evento.






E é claro que além da sede e fome literária, teve um lanchinho para acompanhar. 


A combinação perfeita de café e literatura.







O livro já publicado "Enredos de uma travessia: Ilha do Massangano no Vale do São Francisco" pela professora Antonise, que foi um dos livros lidos e discutidos durante o evento.






O objetivo da semana foi estimular a leitura, a liberdade de expressão, pensamento e o carácter desinibitório, integrando a educação e resgatando a cultura literária nacional como; Castro Alves e Marchado de Assis, Contos de escola entre outros autores e livros tão importantes.