domingo, 14 de dezembro de 2014

1° Oficina de Leitura e Produção Textual na Escola Nossa Senhora Aparecida com o Tema: A Última Crônica

 A partir do texto “A última crônica” de Fernando Sabino, extraído do livro A Companheira de Viagem (1965), no dia 26 de novembro realizamos a nossa primeira oficina literária sobre crônicas na escola Nossa Senhora Aparecida no perímetro N4, pelo qual alunos escreveram textos e produziram cartazes com o tema “Assim eu quereria minha última Crônica”; na qual eles contavam as esperanças para o futuro, história de pedintes abandonados nas ruas e a falta de compaixão por parte das pessoas, datas festivas como o natal e o fim de ano, viagens entre outras temáticas. Depois de prontos o estudantes do 1° B apresentaram suas produções.
                                                                      

Professora Antonise orientando os estudantes para o inicio das produções. 


Alunos do primeiro ano da Escola Nossa Senhora Aparecida chegando na sala de leitura.





Crislaine, Gabriela, Fernanda, Liliane falaram sobre a Democracia.


Francineide Rodrigues, Jéferson e Natalia apresentaram sobre a data festiva; Ano Novo.



Professora Axilium e os alunos na sala de leitura.


Alunos Marcos Augusto, Jaine Alany e Jaqueline Coelho com seu cartaz "O grande dia na neve".



Texto e cartaz feitos por Iara e Silvaneide com o tema "O amor além dos erros."



Professoras Cristiane e Maria Auxilium.




Bárbara Bolsista do Projeto Pibex do Blog Tempo da Palavra tirando as duvidas das alunas.













Ramon Morais, Adelmo Xavier e Italo Bruno, falaram sobre a historia de um pedinte de rua.



Ana Valquiria e Edmaiana do Nascimento desenvolveram o texto sobre:"amizade Verdadeira."




Thailane, Renata, Jessica e Miqueias falaram sobre suas lembranças ocorridas durante o ano de  2014.




                                     


Nas paredes da escola encontramos algumas produções divulgando o novembro azul.


O banner do Blog Tempo da Palavra em exposição no mural da Escola Nossa Senhora Aparecida.

                                         

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Inclusão Social Educacional

 Falando de Inclusão

Falar de inclusão social educacional é falar de inclusão social, ou seja o processo que torna a sociedade mais humana, nos diferentes aspectos da vida, seja eles econômicos, culturais, políticos, físicos e todos os demais.
Assim a inclusão social se apresenta como um processo inserção de todos os grupos que compõe a sociedade principalmente os abastados historicamente, que tem se dado no ambiente escolar na forma de medidas públicas e privadas no processo de escolarização dos segmentos humanos com ênfase na infância e juventude atual. A inclusão educacional é uma inovação, possuindo uma grande abrangência, que tem sido distorcida pelos segmentos sociais.  É uma constante luta pela inclusão, na implantação de perspectiva para pessoas com deficiências, na melhoria da qualidade do ensino nas escolas para atender as necessidades dadas a cada aluno e de acordo com suas especialidades, se não houver o conceito de educação especializada não existirá verdadeira inclusão. A priorização da qualidade no ensino regular precisa ser assumindo pelos educadores e pela sociedade de modo geral, de forma que venha a amparar os alunos. Preparando- os para o futuro, valorizando a diversidade em todos os aspectos da vida.
O compromisso das escolas é um fator determinante para o desenvolvimento socioeconômico, como também do governo e da sociedade. Para isso é preciso efetuar parcerias abrindo espaço para a cooperação, para o diálogo, para a criatividade e solidariedade. Contribuindo para erradicação da ampla desigualdade e injustiça de nosso país.

- Nadine Raissa. Turma: VE 08

Crônica de uma realidade

História de um cotidiano sem água

Sendo a água o liquido que todos precisam para suprir suas necessidades, desde ao acordar ao sair de casa os cidadãos se levantam cedo para a lida do dia a dia, sejam eles trabalhadores das grandes empresas agrícolas, funcionários públicos, estudantes particulares ou públicos, do centro da cidade ou da zona rural, até de cidades circunvizinhas que se deslocam todos os dias para exercerem suas funções.
Acordei cedo como de costume para ir à escola, e qual grande surpresa tive, ninguém conseguia sair ou entrar na cidade pois moradores de um loteamento na BR 235 que sofriam pela falta d’água ocuparam a pista com baldes, panelas e outros recipientes para protestar contra o serviço Autônomo de água e esgoto (SAAE) responsável pelo abastecimento de toda a cidade.
No meio daquela multidão surge uma pobre mulher lavadeira com uma trouxa na cabeça, que logo foi abordada por um repórter radialista local que lhe perguntou:
- Quem é a senhora?
A mulher respondeu:
- Olha meu senhor eu não sou ninguém de grande importância.
- O que?, falou o radialista fingindo não a escutar, e a ignorou.
Comecei a pensar na humildade daquela senhora, pois se não o fosse por ela muitos dos trabalhadores presentes com seus uniformes limpos e engomados, nem estariam ali. A população estava trocando o dia pela noite aparando a pouca água que saia das torneiras e as contas vindas para suas casas chegando com os mesmos valores contabilizados como se houvesse água abundante.
 Então atenta me questiono e os hidrômetros medem o que?!


- Fernanda Coelho Laura Cunha. Turma: 4103

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Futuros Enólogos do Instituto Federal Sertão Pernambucano Relatam os Benefícios do Vinho para Saúde Humana

Em tempos de Festa o vinho nunca esteve tão presente, quando agora na chegada do fim de ano, em datas comemorativas como; Natal, Virada do ano, Formaturas, Aniversários, Ano Novo e tantos outros eventos nada melhor do que tomar um ótimo vinho que além de ser saboroso ao paladar também nos trás muitos benefícios a saúde. Desta forma, os estudantes de Enologia da VE 08 produzem textos que falam sobre os desafios e expectativas da profissão, a arte e a habilidade na produção de vinhos, e os benefícios que ele o trás a saúde humana.

Vinho e saúde: uma revisão

 O vinho sempre esteve de alguma forma vinculado a história do homem, seja por ser uma bebida com sabor e características próprias ou pelos benefícios que esta traz a saúde humana. Desde da antiguidade, os egípcios já utilizavam o vinho como remédio caseiro feito por eles para curar doenças, principalmente inflamações. Detendo hoje o homem atual tal conhecimento descoberto por esse povo, ainda busca-se a melhorias da qualidade dos vinhos e estudos sobre os benefícios deste, graças as tecnologias empregadas. Estudos desenvolvidos no mundo inteiro, na área da medicina e entre outras, tem mostrado a importância na contribuição dos diversos usos vinho para saúde e qualidade de vida, tais como auxiliar na diminuição dos índices de doenças cardiovasculares, na prevenção de alguns tipos de câncer. Sem falar numas importante substancia fenólica denominada “Resveratrol” sendo uma substancia natural que está presente em mais de setenta espécies de plantas, inclusive a uva, atua em humanos com função proteger a pele de doenças desta natureza pelo estress causado por patógenos como: gonorreias, pé de atleta, hiperlipidêmicas ou de caráter inflamatório. 
Em países como Japão e China é comum o uso de tal substancia em combate dessas doenças, já em outros países como a França tem mostrado um alto índice de sua população apresentando uma vida sedentária a maioria está acima do peso, o que ocasiona obstrução dos vasos sanguíneos. No entanto, tais notícias não tem deixado a população preocupada visto que o consumo de vinho é frequente na rotina dos franceses, sendo este um regulador das taxas de LDL e HDL sangue.
 Em relação a prevenção de câncer o Resveratrol tendo características de agente antioxidante age bloqueando reações com radicais livres que dão início ao processo de envelhecimento dos tecidos no corpo, bem como agir sobre diferentes tipos de câncer, já que atua diminuindo o estresse do dia a dia no sistema nervoso central. Em geral no Brasil consome em média de um litro por ano de vinho, o que é muito pouco, se resumindo a datas festivas. Com relação a quantidade de vinho que deve ser ingerida é relativa, o correto é ingerir uma quantidade que não venha causar sérios problemas ao organismo, que segundo especialistas em saúde e em autoridades em vinho é recomendado se tomar uma taça de vinho por dia.

 - Mariza Gomes da Silva. Turma: VE 08 (viticultura e enologia)

Símbolo Marcante 

Ao chegar no mês de dezembro todo o clima natalino vem à tona, as comemorações e os encontros com a família e com os amigos trazem alegria a todos. Logo após vem os festejos do fim de ano ou entrada do novo ano, e o que há de mais comum entre ambas as datas é o gosto pelas bebidas. O vinho e o espumante são um dos símbolos mais comuns desses eventos. O vinho vem das tracionais épocas históricas desde antes e depois de Cristo, ultrapassou gerações se aprimorando cada vez mais ao longo das épocas até os dias atuais. Já o espumante presente símbolo da virada de ano novo, decisivo para o brilhante momento do estouro no “marco zero”, sem ele não seria a mesma coisa. O sabor marcante do vinho acompanhado em um jantar natalino ou romântico, tornado os momentos marcantes e diferenciados, damos um toque de época ao relacionarmos bebidas datas essenciais, as tornamos símbolos característicos. 

- Danielli Mayara dos Santos Souza. Turma: VE - 08 

Enologia e a Criação de vinhos


 Enologia é a ciência que estuda tudo o que está relacionado com a produção e conservação do vinho, desde a escolha do solo adequado, do plantio, produção, envelhecimento, engarrafamento e venda. O enólogo é um profissional com características definidas, dentro do perfil ocupacional da indústria e pode executar ações como supervisão, coordenação, produção entre outros aspectos relacionados ao produto até os resultados finais desejados como o vinho, espumantes, sucos, brandy. Muitas vezes este assume o papel de vendedor ou marqueteiro do produto que irá vender. O trabalho de um enólogo inicia –se entes da chegada das uvas ao largar, já que a qualidade do vinho começa logo na vinha e os fatores determinantes tais como clima, solo e outros de forma que tais elementos produzem um efeito diferenciado na planta condicionando o tipo de vinho que será produzido. A elaboração de um vinho deve refletir a personalidade do enólogo e suas características. 

- Maria Luzinete Costa Barbosa. Turma: VE08

O Vinho e seus Benefícios 


O vinho sempre esteve atrelado ao passado do homem, desde civilizações antigas como os egípcios, gregos e os romanos. A história tem mostrado os benefícios desta bebida, principalmente para o uso medicinal que vem sendo praticada a mais de 2.000 anos. Com ênfase nos estudos desenvolvidos em todas as partes da terra que comprovam que o vinho quando tomado com moderação previne o organismo humano de doenças e aumenta a qualidade de vida, essas pesquisas referemse a ação de substancias fenólicas do vinho que agem no combate a alguns males como vários tipos de câncer, doenças cardiovasculares, hepáticas e similares. 
Na Europa o vinho é considerado um complemento por possuir vitaminas, carboidratos, açucares e minerais destacando o potássio e o iodo. Como qualquer bebida alcoólica o vinho causa alguns problemas quando ingrido em excesso, possuindo de 8 a 10 gramas de etanol, o que torna quem tomas vinho além dos limites susceptível a intoxicação etanoica no dia posterior, entre outros efeitos nocivos à saúde como desidratação do organismo.

 - Maria Luzinete Costa Barbosa. Turma: VE08 


Os Futuros Enólogos e as suas expectativas

O vale do São Francisco se destaca como importante região produtiva de vinhos no país. Com o clima semiárido, e temperatura média anual que permite a produção de uvas o ano todo.
Banhados pelo rio São Francisco os municípios de Petrolina e Juazeiro vem apresentando taxas anuais de crescimento econômico, juntas formam o maior centro de produção de frutas do Brasil e na elaboração de vinhos no sub -médio do vale representou uma quebra de paradigmas da enologia mundial. Há poucos anos se achava impossível a produção de vinhos de boa qualidade em regiões tropicais, por conta do clima quente como o do semiárido brasileiro.
Hoje, às margens do rio São Francisco muitos sonhos foram concretizados, sendo este o maior responsável pela prosperidade das áreas ribeirinhas. Isso impulsiona os futuros enólogos a crescer profissionalmente e criar expectativas para desenvolver os nossos conhecimentos através da viticultura.


- Maria Luzinete Costa Barbosa.   Turma: VE 08