quarta-feira, 25 de março de 2015

Legalização do Abordo

Alunos da Turma 3221 do curso de agroindústriado IF- Sertão PE, produzem cartas a autoridades e a famosos, descrevendo a respeito a um assunto tão polemico e atual, a legalização do aborto como um projeto de lei. Nas cartas o alunos revelam seus diferentes pontos de vista e aspectos importantes sobre o assunto. 


Petrolina, 07 de Março de 2015.

Prezado Sr. Roberto Carlos,

Sou defensora contra o aborto. Pois, o aborto é uma interrupção a vida. Assim venho solicitar ao Sr. Roberto Carlos que compusesse uma música a favor da vida, pois, admiro seu trabalho, conheço suas músicas e vejo que é um cantor verdadeiro e admirado pelas músicas que compõe, e com certeza essa música que o senhor venha a compor terá grande repercussão. Pois, o aborto é um fato muito intrigante, discutido, presente em nossa sociedade e gostaria do seu apoio. O aborto é contra a vida, pois o óvulo fecundado já é um ser humano com todos os direitos assegurados, e até a mãe também pode morrer com complicações e cirurgias mal feitas, como já vimos casos do tipo. Além disso, é prejudicial para a saúde da mulher, para seus órgãos, como: útero, ovário etc. E isso afeta não só uma pessoa, mas a família por completo e por conseguinte a sociedade em geral. Agradeço a sua atenção e compreensão, e que possa analisar essa solicitação com atenção.

Atenciosamente,

Marta Damasceno Brandão.


Casa Nova BA, 2 de março de 2015

Para Vossa Santidade Papa João Francisco.

Esta carta foi escrita para vossa santidade rever a postura da igreja católica, diante do aborto para alguns casos específicos. Por exemplo, uma criança é abusada sexualmente e acaba ficando grávida, ela vítima e é só uma criança não tem culpa e, principalmente, condições de ser mãe seu corpo não está preparado para ser mãe, ainda se sentido transtornada psicologicamente por algo ruim que aconteceu a ela. O aborto é um crime contra uma vida, mas para alguns casos tem que ter exceção. Pois uma criança que vem ao mundo provocado por uma tragédia que é o abuso sexual, ela será rejeitada pela mãe, maltratada e as vezes até morta.

Agradeço a vossa santidade a sua atenção, desde já grata pela compreensão.
R.P.A.F
 Ass: Rose Paula   




Petrolina, 04 de março de 2015.

A Vossa Santidade, Papa Francisco.

Vª Santidade, Sou Estudante da turma 3221 do IF- Sertão. O aborto é crime, e muito têm se falado sobre essa questão, como sendo algo desumano, cruel e perigoso. Por esse motivo exige uma análise em todos os ângulos: social, moral, religioso e político, entre outros. No entanto sabemos que todos os direitos dos cidadãos devem ser respeitados. No caso de estupro e problemas de saúde no feto é permitido por lei o aborto, mas, nem sempre é assim já que se a pessoa tiver dinheiro para pagar o aborto é permitido no Brasil. Como consequência muitas adolescentes e mães de família que engravidam sem querer acabam recorrendo ao aborto clandestino. A vida é um direito fundamental da mulher e do feto, e acredito que ela começa sim no útero e deve ser defendida. 
Agradecemos o apoio.
Atenciosamente, Sheila Marques.



Petrolina/PE, 09 de março de 2015

Vossa Santidade Papa Francisco,


O Vª Santidade fez uma declaração muito dura contra a prática do aborto ao dizer que “causa horror o simples pensamento de que existam crianças que jamais poderão ver a luz do dia, vítimas do aborto” e que aborta significar “descartar seres humanos”. A Igreja Católica, como Vª Santidade sabe, condena o aborto desde século IV em qualquer estágio ou circunstância, o que se debate até hoje como opinião ou posição oficial da igreja católica. No Brasil, se a mulher teve dinheiro para pagar, o aborto é permitido, já se a mulher for de baixa renda tem que provar que foi estuprada ou sofre de um problema grave. A técnica desses abortamentos geralmente baseia-se no princípio da infecção: a curiosa introduz uma sonda de plástico ou agulha de tricô através do orifício existente no colo do útero e fura a bolsa de líquido na qual se acha imerso o embrião. Pelo orifício, as bactérias da vagina invadem rapidamente o embrião desprotegido. A infecção faz o útero contrair e eliminar seu conteúdo, então o procedimento é doloroso e sujeito a complicações sérias, porque nem sempre o útero consegue livrar-se de todos os tecidos embrionários. Vossa Santidade atenciosamente reconhece que a igreja tem falhado no acompanhamento das mulheres, principalmente aquelas que se encontram em situações muito precárias e que o aborto parece ser a solução mais rápida para tal problema. Como sabemos a Igreja não mudou sua doutrina sobre o aborto, mas, diante desse problema social seria preciso rever as condições para atender quem realmente sofre com tudo isso, as inocentes crianças, que a igreja juntamente com a sociedade venha reivindicar aos governantes que ambos trabalhem juntos para resolver essa questão mesmo que tenham opiniões diferentes sobre o assunto.

J.C.S
Ass: JAQUELINE CAVALCANTE.



                                                            PETROLINA, 4 DE MARÇO DE 2015

AO SENHOR ROBERTO CARLOS,

 Venho a informar ao senhor que o aborto se trate de um problema a ser resolvido, pois são jovens vidas em jogo. Costuma-se definir o aborto como uma interrupção da vida indesejada, porém costumo refletir que a cada dia que se passa futuras crianças e novos habitantes da terra são exterminados sem dor e piedade, por motivos fúteis. Jovens e adolescentes pesam nesta opção muitas vezes seguindo estes pensamentos: meus pais não podem saber; é vontade do namorado por que não está preparado para assumir a responsabilidade ou a falta de condições para criar entre outros. Isso leva essas moças a fazerem o aborto em locais ilegais, onde não é seguro, correndo o risco de complicações como; septicemia, esterilidade pós abortamento, depressão moderada ou grave, e em casos raros até ao suicídio dessa mãe que praticou o aborto. Diante dessa deplorável realidade deve-se concluir que o aborto em si é sempre um mal caminho, fora ou dentro da lei. Quem defende sua legalização não tem sã consciência das consequências. Por conta desses motivos peço-lhe encarecidamente que crie uma música falando sobre o assunto, para cantar no seu novo CD, este álbum irá mobilizar e conscientizar as pessoas que o aborto se trata de um crime.

Atenciosamente, de sua fã que só quer ver o bem da humanidade.

Rosicleide Rodrigues.





Nenhum comentário: