domingo, 26 de abril de 2015

Literatura : Simbolismo e Parnasianismo


Introdução do Simbolismo no Brasil


O simbolismo foi um movimento que se desenvolveu nas artes plásticas, teatro e literatura. Surgiu na França, no final do século XIX, em oposição ao Naturalismo e ao Realismo.
As principais características do simbolismo é a ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos; Caráter individualista, desconsideração das questões sociais abordadas pelo Realismo e Naturalismo; a estética marcada pela musicalidade (a poesia aproxima-se da música); enquanto a produção de obras de arte baseadas na intuição, descartando a lógica e a razão. Além da utilização de recursos literários como, por exemplo, a aliteração (repetição de um fonema consonantal) e a assonância (repetição de fonemas vocálicos). Simbolismo no Brasil, teve início no ano de 1893, com a publicação de duas obras de Cruz e Souza: Missal (prosa) e Broquéis (poesia). O movimento simbolista na literatura brasileira teve força até o movimento modernista do começo da década de 1920.

Os principais artistas simbolistas da literatura internacional encontra-se: Charles Baudelaire – autor da obra As flores do mal (1857) que é considerada um marco no simbolismo literário; Arthur Rimbaud; Stéphane Mallarmé e Paul Verlaine. Já na literatura brasileira se destacam Cruz e Souza;  Alphonsus de Guimaraens nas Artes Plásticas: Paul Gauguin; Gustave Moreau; Odilon Redon Teatro; Maurice Maeterlinck; Gabriele d'Annunzio.


- Radamés Dias, Tec. em Agropecuária 4206


Parnasianismo

O Parnasianismo foi um movimento literário que surgiu na França, na metade do século XIX e se desenvolveu na literatura europeia, chegando ao Brasil. Esta escola literária foi uma oposição ao romantismo, pois representou a valorização da ciência e do positivismo. As Características do Parnasianismo: É a objetividade no tratamento dos temas abordados. O escritor parnasiano trata os temas baseando na realidade, deixando de lado o subjetivismo e a emoção; Impessoalidade: a visão do escritor não interfere na abordagem dos fatos; Valorização da estética e busca da perfeição. A poesia é valorizada por sua beleza em si e, portanto, deve ser perfeita do ponto de vista estético; O poeta evita a utilização de palavras da mesma classe gramatical em suas poesias, buscando tornar as rimas esteticamente ricas; Uso de linguagem rebuscada e vocabulário culto; Temas da mitologia grega e da cultura clássica são muito frequentes nas poesias parnasianas; Uma Preferência pelos sonetos; a Valorização da metrificação: o mesmo número de sílabas poéticas é usado em cada verso; E o uso e valorização da descrição das cenas e objetos.
* Parnasianismo no Brasil:
No Brasil, o parnasianismo chegou na segunda metade do século XIX e teve força até o movimento modernista (Semana de Arte Moderna de 1922).
* Principais autores Brasileiros:
Alberto de Oliveira. Obras principais: Meridionais (1884), Versos e Rimas (1895), Poesias (1900), Céu, Terra e Mar (1914), O Culto da Forma na Poesia Brasileira (1916). Raimundo Correia. Obras principais: Primeiros Sonhos (1879), Sinfonias(1883), Versos e Versões(1887), Aleluias(1891), Poesias(1898). Olavo Bilac. Obras principais: Poesias (1888), Crônicas e novelas (1894), Crítica e fantasia (1904), Conferências literárias (1906), Dicionário de rimas (1913), Tratado de versificação (1910), Ironia e piedade, crônicas (1916), Tarde (1919). Francisca Júlia. Obras principais: Mármores (1895), Livro da Infância (1899), Esfinges (1903), Alma Infantil (1912). Vicente de Carvalho. Obras principais: Ardentias (1885), Relicário (1888), Rosa, rosa de amor (1902), Poemas e canções, (1908), Versos da mocidade (1909), Páginas soltas (1911), A voz dos sinos, (1916).


- Gabriela Cristina.  T.4206



Simbolismo


O Simbolismo é um movimento que aprofunda e radicaliza os ideais românticos, estendendo suas raízes à literatura, aos palcos teatrais, às artes plásticas. Ele nasceu na França, no final do século XIX, em contraposição ao Realismo e ao Naturalismo. No intenso contato com a cultura, a mentalidade, as artes e a religiosidade orientais, os artistas desta época mergulham nestes valores distintos do pensamento ocidental, mais racional, e espelham em suas criações esta outra visão de mundo. Sem o Romantismo, com sua oposição ao uso desmedido da Razão, o Simbolismo não existiria, pois ele se apropria dos princípios românticos e os aprofunda de tal forma que nem o romântico mais contagiado pelas raízes desta Escola o faria. Os simbolistas percorrem, assim, caminhos mais ousados e irracionais, recorrendo ao uso extremo dos símbolos e do misticismo, empreendendo rumo ao inconsciente uma jornada além dos limites extremos da razão, um mergulho nos recantos mais ocultos do inconsciente. Os simbolistas adotavam uma visão pessoal e individualista da realidade, sem se ater muito aos princípios estéticos então vigentes. Isto lhes valeu o pejorativo apelido de ‘decadentistas’. Em 1886, porém, a publicação de um importante manifesto – ‘O Século XX’, do teórico deste movimento, Jean Moréas - deu ao movimento seu nome definitivo - simbolismo. Na França, esta escola está intimamente ligada às consequências da Revolução Francesa, que marcaram sua natureza sociocultural, e às teorias elaboradas pelo Romantismo e pelo Liberalismo.
Para os adeptos do Simbolismo, não basta sentir as emoções, mas é necessário levar em conta também a sua dimensão cognitiva. Esta é a real postura poética, segundo seus seguidores. Este movimento se reveste igualmente de um marcante subjetivismo, ou seja, de um teor individualista, em detrimento da visão geral dos fatos. A musicalidade é um de seus atributos que mais se destaca; assim, os simbolistas usam ferramentas como a aliteração e a assonância. Além disso, o Simbolismo revela-se um movimento de caráter transcendental, sempre resvalando para a imaginação e a fantasia, privilegiando a intuição para interpretar os dados do real, desprezando a razão ou a lógica.

Os sonhos são para os discípulos do Simbolismo ferramentas fundamentais para compreender experiências ancestrais do homem, em épocas nas quais prevaleciam sensações caóticas e anárquicas, que hoje são relembradas pelo sujeito apenas em suas experiências oníricas ou nas sessões psicanalíticas. Esta escola é essencialmente literária, pois realiza no âmbito da Literatura uma completa renovação. Em Portugal o Simbolismo desembarcou no século XIX, com a publicação de “O aristo”, de Eugênio de Castro, em 1890. No Brasil, em 1893, publicou-se “Missal” e “Broquéis”, de Cruz e Sousa. Já a poesia simbolista não repercutiu no Brasil como o fez na Europa. Na França, o Simbolismo ganhou forças com a obra “As Flores do Mal”, do poeta Charles Baudelaire, em 1857.

- Janaine Santos Amorim e Jaqueline Gomes.
Turma: 4206

domingo, 19 de abril de 2015

Escolas Literárias

Alunos do Instituto Federal dissertam sobre alguns dos gêneros literários clássicos, surgidos desde a origem da historia da literatura; Simbolismo, Romantismo e Parnasianismo. Destacando as principais características de cada gênero e seu contexto histórico, bem como a sua introdução no Brasil.

ROMANTISMO


O Romantismo no Brasil surgiu em 1836 com a publicação de "Suspiros Poéticos e Saudades" de Gonçalves de Magalhães. Mas se originou mesmo na Alemanha e Inglaterra no final do séc. XVIII e se desenvolveu no Brasil durante o séc. XIX. A característica principal da Poesia Romântica é a expressão plena dos sentimentos pessoais, com os autores voltados para o seu mundo interior e fazendo da literatura um meio de desabafo e confissão. A vida passa a ser encarada de um ângulo pessoal, em que se sobressai um intenso desejo de liberdade. O estilo romântico revela-se inicialmente idealista e sonhador, depois, crítico e retórico, mas sempre sentimental e nacionalista.

CARACTERÍSTICAS GERAIS:

Exaltação dos sentimentos pessoais; Expressa os estados da alma; Exaltação da liberdade, igualdade e reformas sociais; Valorização da natureza e Sentimento nacionalista.

- Alleson Andrei. Turma: 4206

Parnasianismo Brasileiro
  
O Parnasianismo tem seu marco inicial com a publicação de “Fanfarras” de Teófilo Dias, em 1882. Contudo, Alberto de Oliveira, Olavo Bilac e Raimundo Correia também auxiliaram a implantação do Parnasianismo no Brasil.  A estética parnasiana, originada na França, valorizava a perfeição formal, o rigor das regras clássicas na criação dos poemas, a preferência pelas formas fixas (sonetos), a apreciação da rima e métrica, a descrição minuciosa, a sensualidade, a mitologia greco-romana. Além disso, a doutrina da “arte pela arte” esteve presente nos poemas parnasianos: alienação e descompromisso quanto à realidade. 
Contudo, os parnasianos brasileiros não seguiram todos os acordos propostos pelos franceses, pois muitos poemas apresentam subjetividade e preferência por temas voltados à realidade brasileira, contrariando outra característica do parnasianismo francês: o universalismo. 
Os temas universais, vangloriados pelos franceses, se opunham ao individualismo romântico, que revelava aspectos pessoais, desejos, aflições e sentimentos do autor. 
Outra característica que o Parnasianismo brasileiro não seguiu à risca foi a visão mais carnal do amor em relação à espiritual. Olavo Bilac, principalmente, enfatizou o amor sensual, entretanto, sem vulgarizá-lo. 
No Brasil, os principais autores parnasianos são: Olavo Bilac e Raimundo Correia. O poema “Profissão de fé” de Olavo Bilac é uma representação da estética parnasiana no Brasil. 


- Leonardo Brito Macedo                    
Turma: 4206 


Parnasianismo

Nas últimas décadas do século XIX, a literatura brasileira abandonou o sentimentalismo dos românticos e percorreu novos caminhos. Os poetas parnasianos achavam que alguns princípios adotados pelos românticos (linguagem simples, emprego da sintaxe e vocabulário brasileiros, sentimentalismo, dentre outros) esconderam as verdadeiras qualidades da poesia. Então, propuseram uma literatura mais objetiva, com um vocabulário elaborado (às vezes, incompreensível por ser tão culto), racionalista e voltada para temas universais. A inspiração nos modelos clássicos ajudaria a combater as emoções e fantasias exageradas dos românticos, garantindo o equilíbrio que desejavam.

PRINCIPAIS AUTORES DO PARNASIANISMO:

OLAVO BILAC (16/12/1865 – 28/12/1918)

Obras: “A sesta de Nero”, “O incêndio de Roma”, “O Caçador de Esmeraldas” “Panóplias”, “Via Láctea”, “Sarças de fogo”, “As viagens”, “Alma inquieta”, “Tarde” (publicada após a sua morte, em 1919), etc.

ALBERTO DE OLIVEIRA (1857 – 1937)

Obras: “Canções Românticas”, “Meridionais”, “Sonetos e Poemas”, “Versos e Rimas”.
VICENTE DE CARVALHO (1866 – 1924)

 Obras: “Ardentias”, “Relicário”, “Rosa, rosa de amor”, “Poemas e canções”.


CARACTERÍSTICAS DO PARNASIANISMO: Preocupação formal; Comparação da poesia com as artes plásticas, principalmente com a escultura; Referências a elementos da mitologia grega e latina; Preferência por temas descritivos (cenas históricas, paisagens); Enfoque sensual da mulher (davam ênfase na descrição de suas características físicas); Habilidade na criação dos versos; Vocabulário culto; Objetivismo; Universalismo; Apego à tradição clássica.

Alleson Andrei. Turma: 4206


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Estrutura Narrativa: Conto Mãos dos Pretos

Os estudantes do Instituto Federal usam o livro de Contos Africanos para montar a estrutura narrativa dos seus textos com as interpretações e análises, produzindo cartazes sobre a temática. As Mãos dos Pretos escrita por Luís Bernardo Honwana, e se trata de uma história sobre a igualdade entre os homens, para além das suas cores. Foi escrito no tempo em que Moçambique era colônia portuguesa, é uma manifestação em prosa, que conta histórias, na luta pela libertação de Moçambique, na qual a grande questão levantada que as mãos dos pretos são brancas. Que descreve o preconceito contra os negros, e a unica ligação de igualdade entre pretos e brancos era as palmas das mãos. Veja os trechos do conto abaixo;


Já não sei a que propósito é que isso vinha, mas o Senhor Professor disse um dia que as palmas das mãos dos pretos são mais claras do que o resto do corpo porque ainda há poucos séculos os avós deles andavam com elas apoiadas ao chão, como os bichos do mato, sem as exporem ao sol, que lhes ia escurecendo o corpo. Lembrei-me disso quando o Senhor Padre, depois de dizer na catequese que nós não prestávamos mesmo para nada e que até os pretos eram melhores do que nós, voltou a falar nisso de as mãos deles serem mais claras, dizendo que isso era assim porque eles, às escondidas, andavam sempre de mãos postas, a rezar.
Eu achei um piadão tal a essa coisa de as mãos dos pretos serem mais claras que agora é ver-me a não largar seja quem for enquanto não me disser por que é que eles têm as palmas das mãos assim mais claras. A Dona Dores, por exemplo, disse-me que Deus fez-lhes as mãos assim mais claras para não sujarem a comida que fazem para os seus patrões ou qualquer outra coisa que lhes mandem fazer e que não deva ficar senão limpa.


O Senhor Antunes da Coca-Cola, que só aparece na vila de vez em quando, quando as coca-colas das cantinas já tenham sid0 todas vendidas, disse que tudo o que me tinham contado era aldrabice. Claro que não sei realmente se era, mas ele garantiu-me que era. Depois de eu lhe dizer que sim, que era aldrabice, ele contou então o que sabia desta coisa das mãos dos pretos. Assim:
“Antigamente, há muitos anos, Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, Virgem Maria, São Pedro, muitos outros santos, todos os anjos que nessa altura estavam no céu e algumas pessoas que tinham morrido e ido para o céu, fizeram uma reunião e resolveram fazer pretos. Sabes como? Pegaram em barro, enfiaram-no em moldes usados para cozer o barro das criaturas, levaram-nas para os fornos celestes; como tinham pressa e não houvesse lugar nenhum ao pé do brasido, penduraram-nas nas chaminés. Fumo, fumo, fumo e aí os tens escurinhos como carvões. E tu agora queres saber por que é que as mãos deles ficaram brancas? Pois então se eles tiveram de se agarrar enquanto o barro deles cozia?!”

Depois de contar isto o Senhor Antunes e os outros Senhores que estavam à minha volta desataram a rir, todos satisfeitos. Nesse mesmo dia, o Senhor Frias chamou-me, depois de o Senhor Antunes de ter ido embora e disse-me que tudo o que eu tinha estado para ali a ouvir de boca aberta era uma grandessíssima peta. Coisa certa e certinha sobre isso das mãos dos pretos era o que ele sabia: que Deus acabava de fazer os homens e mandava-os tomar banho num lago do céu. Depois do banho as pessoas estavam branquinhas. Os pretos, como foram feitos de madrugada e a essa hora a água do lago estivesse muito fria, só tinham molhado as palmas das mãos e as plantas dos pés, antes de se vestirem e virem para o mundo.
Mas eu li num livro, que por acaso falava nisso, que os pretos têm as mãos assim mais claras por viverem encurvados, sempre a apanhar o algodão branco de Virgínia e de mais não sei onde. Já se vê que a Dona Estefânia não concordou quando eu lhe disse isso. Para ela é só por as mãos desbotarem à força de tão lavadas.

Bem, eu não sei o que vá pensar disso tudo, mas a verdade é que ainda que calosas e gretadas, as mãos dum preto são sempre mais claras do que todo o resto dele.
A minha mãe é a única que deve ter razão sobre essa questão de as mãos de um preto serem mais claras  do que o resto do corpo. No dia em que falámos nisso, eu e ela, estava-lhe eu ainda a contar o que já sabia dessa questão e ela já estava farta de se rir. O que eu achei esquisito foi que ela não me dissesse logo o que pensava disso tudo, quando eu quis saber, e só tivesse respondido depois de se fartar de ver que eu não me cansava de insistir sobre a coisa, e mesmo assim a chorar, agarrada à barriga como quem não pode mais de tanto rir. O que ela disse foi mais ou menos isto:
“ Deus fez os pretos porque os tinha de haver. Tinha de os haver, meu filho, Ele pensou que realmente tinha de o haver… Depois arrependeu-se de os ter feito porque os outros homens se riam deles e levavam-nos para as casas deles para os pôr a servir como escravos ou pouco mais. Mas como Ele já os não pudesse fazer ficar todos brancos porque os que já se tinham habituado a vê-los pretos reclamariam, fez com que as palmas das mãos deles ficassem exatamente como as palmas das mãos dos outros homens. E sabes porque é que foi? Claro que não sabes e não admira porque muitos e muitos não sabem. Pois olha: foi para mostrar que o que os homens fazem é apenas obra dos homens. Deve ter sido a pensar assim que ele fez com que as mãos dos pretos fossem iguais às mãos dos homens que dão graças a Deus por não serem pretos”.

Depois de dizer isso tudo, a minha mãe beijou-me as mãos.
Quando fugi para o quintal, para jogar à bola, ia a pensar que nunca tinha visto uma pessoa a chorar tanto sem que ninguém lhe tivesse batido.
 HONWANA, Luís Bernardo, 2008. “As mãos dos pretos”,
in Nós Matámos o Cão-Tinhoso.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Benefícios da Leitura

Por que a sociedade atual sofre tanto com o sedentarismo literário? Que bens a leitura nos proporciona? Será mesmo, que ler livros atualmente se tornou apenas uma modinha passageira? Ler também traz saúde? Os jovens do Instituto Federal do Sertão Pernambucano especulam a respeito do assunto da Leitura e o Jovem,  que é algo tão próximo, tão real e tão presente na vida deles. Veja as opiniões que estes jovens relatam sobre a leitura;




Leitura é Prática


É de grande importância não só para os jovens, mas para todos principalmente durante a infância. Porque a criança já é educada despertando a vontade de ler e esse hábito pode ser alimentado até sua maturidade. Hoje em dia, vemos o quão importante é a leitura, pois, ajuda para falarmos de maneira correta, escrever de maneira correta, entender um contexto, aprender, se expressar e entender melhor as situações e aos outras pessoas. Por isso, que é tão difícil para os jovens conseguirem fazer uma redação, ou interpretarem uma questão. “Existe uma carência da leitura que aprofunda o aprendizado, e isso é ruim, principalmente quando vão fazer o Enem ou um concurso.” Mas, o que dificulta esses jovens para terem o hábito da leitura? Muitas são as razões, mas falando com relação ao Brasil, “
“Infelizmente é típico e quase cultural o brasileiro não gostar de ler, isso porque o Brasil é um país muito liberal e precisa melhorar muito na questão da Educação, pois, ainda não se investe muito na educação. Além disso, outros fatores influenciam os jovens: internet, vídeo game, festas, bebidas, drogas etc.”
Então, tudo isso são pontos negativos, mas o principal é a internet, onde a medida que a tecnologia foi aumentando, foi consumindo mais o tempo das pessoas. O importante é saber equilibrar, a internet facilita muito nossa vida, é verdade, no entanto precisamos criar o hábito de ler. É importante porque se trata de algo que levamos conosco para toda nossa vida, da escola até o trabalho, mesmo depois de formados. “Assim sendo, para criarmos o costume até virar um habito é preciso fazer uma programação para lermos todos os dias ou seja se organizar, nem que seja por dez minutos, porque aos poucos esse tempo vai aumentando pois vamos tomando gosto e logo estaremos lendo cada vez mais,” então veremos os benefícios refletidos no nosso cotidiano e entenderemos realmente importância de ler, pois a leitura se tornará prática.

- Marta Damasceno Brandão – Agroindústria – Turma 3221


Sedentarismo Literário


É muito intrigante discutir sobre o uso da tecnologia exagerada pelos os jovens, e a pouca atenção que mesmo eu e eles dão os livros e ao habito de ler. Essa falta de hábito tem contribuído muito para uma juventude distraída, sendo assim mal informada e tão distante dos problemas sociais. “A internet é o principal motivo da distração dos jovens, pois oferece muita informação, tanto boa quanto ruim, mas falha na questão da escrita”, muito difícil você ver um jovem que escreva corretamente hoje. Precisamos reconhecer que a leitura é muito importante para o conhecimento humano, e nos esforçar para testar e aprimorar o nosso raciocínio, além de aprender sobre a realidade em que vivemos.  Temos que largar a preguiça de lado e levar mais a sério as coisas que são importantes para o nosso futuro como um todo não apenas profissional, é pra vida inteira.

Nome: Mª Das Dôres Ferreira da Silva
Curso: Agroindústria/3221


Leitura X Internet

Atualmente muito tem se discutido sobre o fato dos jovens estarem usando de forma exagerada a tecnologia, deixando de lado o hábito da leitura. A internet é uma ferramenta que possui muita informação, porém é mau utilizada, está afetando a escrita e a leitura dos jovens já que gastam muito tempo em redes sociais por exemplo. Principalmente esse apego a celulares, tabletes e tudo que envolve tecnologia consome um tempo exagerado que poderia ser gasto lendo um bom livro, pesquisando informações para o crescimento intelectual dos jovens ou seja que poderiam estar procurando um meio de apreender mais, só que ao invés disso infelizmente a  internet têm feito o oposto, vem contribuindo para a formação de uma juventude mal informada e mal alfabetizada, que não quer se dar ao trabalho ou esforço de procurar e conquistar coisas essenciais para sua vida e para seu conhecimento.  “Os estudos devem ultrapassar as paredes das escolas e universidades.” Os jovens precisam ler mais, pois só assim serão bons profissionais capacitados e dotados de boas informações. Ler é uma forma de aprender e se atualizar a cada dia. Ler por prazer, simplesmente por que gostamos é algo que precisamos nos dedicar cada dia mais.

- Sheila Marques. T.3221


Dinamizar o Raciocínio e a Interpretação

A leitura é primordial para o conhecimento e para desenvolvimento do raciocínio. Para aprender sobre a realidade em que vivemos, evitar cair no mundo da criminalidade como é o caso de muitos jovens que não tem acesso ao conhecimento. Ler sempre foi importante, ainda mais hoje dia. Tudo se modifica muito rápido, que exige de estejamos sempre atualizados e preparados para solucionar os problemas do dia a dia. “Apesar de tanta tecnologia os jovens se esquecem dos livros e assim perdem aquilo que os fariam pensadores, deixam de desenvolverem seu senso crítico e serem verdadeiros apreciadores do que é belo. A internet é uma faca de dois gumes, pois fornece muitas informações mas deseduca no quesito escrita.”
É difícil você ver um jovem escrever corretamente hoje, aliás, é difícil você entender o que eles querem dizer quando falam ou escrevem. É muito triste, nada como se entregar a um bom livro, ali você viaja, cria paisagens, dar vida e alma aos personagens da história, enfim, ler é tudo de bom. Para enriquecer nosso vocabulário, obter conhecimento, dinamizar o raciocínio e a interpretação. É essencial para qualquer pessoa que queira ter uma boa formação. “Atualmente, esse desapego dos jovens pela leitura tem contribuído para uma juventude pobre de conhecimento, pouco politizada, com senso crítico medíocre, mal informada e distante dos problemas sociais.”

- Maria das Graças Sena dos Santos
Curso: Agroindústria/3221


 Jovens Atentos

Atualmente muitas pessoas discutem sobre o uso exagerado das novas tecnologias pelos jovens e a pouca atenção que eles dão aos livros e o hábito da leitura. Hoje existem uma enorme quantidade de jovens que não tiveram ou não tem oportunidade de ir à escola ou até mesmo por vontade própria. 
Antes destes aplicativos digitais chegarem, estes que os auxiliam em tudo, que lhes dão acesso a informação sem precisar ler ou pesquisar em livros, revistas, entre outros; os jovens se dedicavam a leitura um pouco mais do que os atuais.”Se houver um controle maior desses meios, eles terão outras curiosidades para saber o que acontecem no mundo. O pais sentem a falta daqueles jovens atentos que utilizavam a arte, músicas, a poesia, para protestar, por exemplo contra a ditadura militar. É preciso que estes pais controlem o tempo que seus filhos passam em frente do computador e nos vídeos games, para que eles também tenham tempo para dedicar-se a leitura de bons livros. O poder público também poderia ajudar agindo em ação com outros países no controle do uso das novas tecnologias. Acho que assim o Brasil terá uma juventude leitora.  


- SOLANGE BARROSO ROCHA Turma : 3221



Por que a leitura é tão importante?

A leitura amplia o conhecimento sobre o próprio conhecimento de diversas maneiras, ela aperfeiçoa e aguça o homem a descobrir, melhorar ou modificar as coisas e pensamentos a sua volta, sempre se adaptando à procura de novos objetivos, sobre novos horizontes. A pessoa que ler além de se tornar uma pessoa culta, irá perceber a variação que existe nas diferentes culturas, podendo compreender melhor o outro quando passamos a conhecer, a história e a própria vida que o cerca.
O conhecimento ajuda a melhorar a escrita, o vocabulário, a reflexão, e terá, mas facilidade ao desenvolver um texto, “a leitura não é só aprendizagem é um mundo de sonhos que pode ser imaginado.”  Hoje em dia além dos livros, tem os aplicativos para computador, tablet, celular, não há desculpas para não praticar a leitura, nos tempos tão modernos como hoje, fora que é essencial em tudo o que fazemos.

Curso: agroindústria Turma: 3221
 - Rose Paula de Araujo Ferreira