sexta-feira, 28 de junho de 2019

Produções Textuais de Gustavo Santos

  • Os textos produzidos pelos alunos me surpreendem porque eles são criativos e capazes de mostrar desempenho e sagacidade
    nas atividades que eu proponho em sala de aula.As 
    produções de Gustavo Santos tem a afetividade, por isso eu acredito que o leitor vai gostar de conhecer suas 
    produções


Meu doce sertão

 Meu sertão terra de ouro, 
Um vaqueiro cheio de couro, 
Corre sem ter desgosto, 
Com um sorriso no seu rosto. 

 Saudades da catinga, 
Onde tem aves de rapina, 
Tomava água da cacimba, 
Pensando numa menina. 

Hoje falo com dor, 
Quando vejo que meu amor, 
Foi embora e me deixou. 
Aí que saudades, do meu vigor. 

Assim como as águas vem, 
Elas também vão, 
Quando a chuva chega, 
O verde embeleza meu sertão. 


TEXTO 02: AUTOBIOGRAFIA
Gustavo e seu amor por cavalos


Saudades que tenho...

 Meu nome não é tão diferente, mas também não é tão popular. Me chamam de Gustavo, sem contar que tenho apenas 15 anos, embora quem me ver jura que tenho uns 18. Nasci no ano de 2003, no mês 10 e no dia 25. Moro em uma fazenda localizada em um dos projetos de fruticultura irrigada em Petrolina, Projeto Maria Tereza Km 25, mas na verdade eu sou bem do interior mesmo ou como as pessoas dizem por aqui “Do meio do mato”, mas na verdade eu amo poder dizer que venho do interior o canto dos pássaros, a natureza e, principalmente os cavalos, eu amo cavalos. 
 Meus pais se chamam Jersomide e Neli. Eles tiveram três filhos, eu, a minha irmã Ana e meu irmão Kaio. Entre nós três, sou o mais velho, em seguida tem meu irmão e, por fim veio minha irmã.  Sempre estudamos em escolas públicas e desde que minha irmã completou idade suficiente para estudar na escola grande, sempre estudamos no mesmo turno para poupar viagem para motorista do ônibus, já que moramos mais afastados da escola e também por conta que minha mãe sempre quis que ficássemos juntos, assim um toma conta do outro.
 Lá de onde eu venho, um povoadozinho pequeno conhecido como Atalho, todos que ali habitam se conhecem, um lugar tranquilo onda cada um tem seu pedacinho de terra e seus animais para cuidar.  A chuva só em tempo de inverno, sabe? No tempo em que não tem inverno, cada um dá seus pulinhos para cuidar de seus animais e ganhar dinheiro pra sua própria alimentação, meus avós, por exemplo, já tive, tenho e se Deus quiser irei ter mais experiências com eles.  Vejo a luta que sempre é para poder dar o que comer aos animais da roça e, nesse meio tempo que posso ficar com eles eu ajudo meu avô a cortar, queimar e relar mandacaru ou então até cortar maniçoba pra fazer farelo, mas sempre com um sorriso no rosto. Eu ajudei tanto meus avós paternos como meus avós maternos.
 Gosto da minha terra também pelo simples fato de haver cavalos, eu amo cavalos, tanto que meu sonho é poder possuir um só para mim, só que seja com meus esforços, meus trabalhos, pelo meu suor, assim posso trata-lo e não precisar me preocupar em depender de outra pessoa para alimentá-lo. Meus dois 'vô' são vaqueiros bem conhecidos na região e, por isso veio o afeto de também querer um dia ser vaqueiro como eles foram.  
Quando estou por lá eu tenho o privilégio de poder acompanhar meu avô por parte de mãe nas campeadas, já que meu outro avô por parte de pai já está com uma certa idade. Quem vê pensa que é coisa de doido, mas ao observar de longe não sabe a emoção e a adrenalina que é poder pegar um boi na caatinga em alta velocidade.
 Eu já fui uma criança muito teimosa, mas hoje eu não consigo ser o centro das atenções como eu era um dia e muito menos que alguém repare em mim. Prefiro ficar em silêncio e observar como as pessoas ao meu redor se comportam nesse novo mundo, pois, hoje em dia, nada mais presta como antigamente, acabaram as brincadeiras, festas, confiança, amor e respeito. Tudo está mudado e vai mudar mais ainda.
Em minha vida, tenho uma 'pecinha' chave, sem ela tudo parasse de funcionar em mim, meu cachorro, eu o amo tanto, tanto, tanto mesmo esse ser tão lindo que quando passo um dia sem vê-lo eu não consigo me segurar, penso que ele pode não voltar mais aqui para pertinho de mim. Passei por muitas coisas com ele, que nem eu mesmo posso acreditar. Só que por conta dos meus estudos eu tive que passar a vê-lo em 7 em 7 dias. No começo, foi muito ruim tanto para ele quanto para mim. 
Minha mãe me falava que meu cachorro não queria comer e não saia da frente da porta e isso me deixava muito triste, mas ao decorrer do tempo, ele se acostumou com esse intervalo sem nos vermos. Todas as vezes que chego da escola ele está na frente de casa me esperando, vai ver por isso eu amo tanto esse pequeno ser que na verdade é tão grande aqui dentro de mim. 
Atualmente, estudo em uma Instituição Federal, Instituto Federal Campus Petrolina Zona Rural que é uma escola técnica onde o ensino médio vai sendo cursado junto com uma profissionalização, no meu caso a Agropecuária que envolve animais, agroindústria e agricultura. 
Como gosto de poder cultivar e de cuidar dos animais, vejo isso como uma boa oportunidade na minha vida, pois eu conheci muitas pessoas, algumas boas e outras ruins, mas isso é normal nem ligo, apenas quero poder fazer o que eu mais gosto na vida. No meu primeiro ano eu só tirava nota baixa, mas agora no segundo ano eu parei para pensar que isso vai influenciar muito em minha vida e, por isso, eu compreendi que deveria melhorar e hoje vejo que melhorei bastante, e pretendo melhorar mais ainda.

TEXTOS de Gustavo Santos -  Agropecuária 

12 comentários:

Gustavo Santos disse...

Obrigado professora Antônise, isso tudo graças a você!

Park Clara disse...

Nossa ficou ótimo,tô impressionada

Park Clara disse...

Mandou bem Gustavo

Arthur disse...

Parabéns Gustavo, um ótimo texto gostei muito. 👏👏

Maycon Nunes disse...

Muito lindo! Parabéns!

Maycon Nunes disse...

Parabéns!! Lindo texto!

Ana Isabel Santos disse...

Belo texto Gustavo 👏👏

Luiz Eduardo Macedo disse...

Texto topp!! Parabéns.👏👏👏

Unknown disse...

Nossa que demais👏

Raylane 4115 disse...

Gostei muito do seu texto Gustavo, parabéns pela a sua capacidade, nunca desista de nada Principalmente dos seus sonhos

Marcos Marinho disse...

INCRÍVEL,que massa sentir toda essa emoção contada em cada estrofe da sua história, infelizmente é como você disse , o mundo só piora , o bom é saber que existe pessoas boas como você ainda. No seu texto deu pra perceber toda a sua humildade e sinceridade, fico feliz em saber que você tem se esforçado mais nos estudos, sua transformação é acompanhada de atenção , amor e foco aos animais , parabéns!

Unknown disse...

fixou top cara tanto o primeiro quando o segundo texto 👏👏