quinta-feira, 30 de abril de 2020

A INDESEJADA DAS GENTES


A VIDA CONTINUA E EM BREVE,  ESTAREMOS LIVRES DESTE VÍRUS CRUEL.


  A INDESEJADA DAS GENTES

             Peço licença a Manuel Bandeira, grande poeta brasileiro, 
         para usar a expressão "a indesejada das gentes"
         Que corre solta, sem cabresto, numa vil empreitada.
Estava adormecida, mas a insensatez humana provocou seu despertar.
Quem sobreviver a ela não será mais como antes.
A indesejada das Gentes percorre mares e continentes e, até no sertão, vai chegar.
Desta vez, mais impiedosa e sorrateira, 
numa velocidade sem tamanho.
Um punhado lembrará seus efeitos na humanidade.
Alguns rogam para Deus, Alá, aos Anjos e Santos, 
o perdão dos pecados; enquanto outros, 
atravessam a tempestade incitando a sina.
A Passos largos, bate à porta dos sertanejos que imploram a ‘bença’ de Padre Cícero.
Para vencer essa Indesejada das Gentes basta ser Caruá e se esgueirar no aconchego solitário do lar. 
Nas frentes de batalha, resistem os destemidos e incansáveis profissionais de saúde, 
os gestores aguerridos com a causa.
E os iniludíveis não verão sortilégios nem tangos argentinos.
- Vai Passar! Tomara que sim!
          E quando tudo isso passar, vamos nos deitar à beira do Velho             Chico, agradeceremos a Deus o dom da vida,
          exaltaremos o Sol e na Consoada,
          contar-lhe-ei meus desejos mais íntimos.

Antonise Coelho de Aquino-
 Petrolina, 29 de abril de 2020


Nenhum comentário: