segunda-feira, 20 de abril de 2020

OS SONHOS QUE NOS RESTAM




                                 OS SONHOS QUE NOS RESTAM
                                            
Texto enviado por Érica Nogueira, aluna da TURMA 4218 - Ensino Médio em Agropecuária - Reflexão sobre o papel dos sonhos e do trabalho para as pessoas. 

   No atual século XXI, o cotidiano de muitos cidadãos segue um ritmo sistemático e vazio, a qual pode-se notar de forma lúcida e precisa. A sociedade hodierna transformou os mesmos em “máquinas” que apenas trabalham constantemente, cerca de 8 a 9 horas por dia, e quando retornam a suas casas, mesmo estando no âmbito residencial, o trabalho ainda perpetua seus pensamentos, como se nunca tivessem saído de lá. 

Logo, tais pessoas não desaceleram seu ritmo mental e nem sequer conseguem meditar por um minuto a fim de chegar a conclusão “Por que o meu trabalho converteu-se em algo tão vazio?”. “Será o caminho certo?”. Raciocine então, se alguém não consegue tirar pelo menos 5 min por dia para meditar sobre sua vida, é porque algo não está seguindo uma cadência correta. 

Nesse caso, tais dúvidas podem ser justificadas por uma simples palavra: “sonhos”. Então perguntam: “Por que sonhos?”

 Não se tratam de sonhos que temos durante o sono profundo, mas aqueles que promovem características psíquicas, referentes às experiências criadas pela nossa mente, nas quais são de extrema relevância, pois os sonhos, apesar de serem expectativas para a realização de um desejo, estão intrinsecamente relacionados com os principais responsáveis, se não o mais, por prover vida e esperança as nossas ações do cotidiano.

Nessa perspectiva, percebe-se que os indivíduos estão cada vez mais sendo movidos por “pulsões” vazias, como a chamada “obrigação” que, por sua vez, torna o cidadão cada vez mais alienado dos aspectos bons oferecidos pela vida, o que os faz pensar que esta é literalmente isso, “suma obrigação” a ser cumprida. Todavia, deve-se considerar que não nem toda a população massiva em sociedade comporta-se dessa maneira. Muitos tentam lidar com rígido cotidiano, mesmo sem esperanças de melhoria. E partindo desse pressuposto, que os sonhos se tornam mister, até porque, tais são a chave para desencadear novos sentimentos, como a motivação, esperança e expectativas para o preenchimento das extremas lacunas da rotina diária. 

É nítido observar que os avanços na atualidade, apesar dos seus frutos no que diz respeito a um maior conforto do homem, levam-no a imensidão tecnológica maquiavélica e usurpadora de valores em sua capacidade de manipulação do pensamento humano, quando deveria ser o contrário. Os sonhos que nos restam podem ser os únicos a fazer tais pessoas assumirem o controle sob suas vidas, antes que tal imbróglio tecnológico perpetue em meio social de forma errônea.


Nenhum comentário: