quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

SENTIMENTOS EM TEMPOS DE PANDEMIA - VITICULTURA E ENOLOGIA - VE -15 2020.2

 PRIORIDADES


De que vale tanto esforço em ter, se eu não tenho você?
De que vale ter a melhor casa, se não sou feliz dentro dela?
De que vale ter o melhor carro, se ele não me leva ao país das maravilhas?
De que vale ter as melhores roupas, se não me visto de valores?
De que vale tanto esforço em ter, se eu não tenho você?

De que vale ter 1 milhão de seguidores, se não tenho com quem contar?
De que vale ter dinheiro, se eu não aprendi a doar?
De que vale ter os melhores ingredientes, se eu não aprendi a cozinhar?
De que vale tanto esforço em ter, se eu não tenho você?

De que vale ter os melhores sapatos, se eles não me fazem voar?
De que vale ter os melhores livros, se eu não tenho tempo pra ler?
De que vale ter os melhores vinhos,  se não os posso beber?
De que vale tanto esforço em ter, se eu não tenho você?

Eu quero ou eu preciso?
De que vale tanto esforço em ter se eu não tenho você?

Eli




Sobrevivendo na pandemia


Já não posso ser livre!

 Isso eu tento compreender. 
Os tempos hoje em dia 

Em um mundo tão difícil... 

Difícil pra se viver. 

Onde sobreviver é estar vivo.

Mas isso não é o mesmo que viver? 
Viver é ser livre ! 
Livre de tristezas, 

 e dores do coração. 

Peço a Deus, através da oração 

que nos proteja

e nos livre desse mal,

Mal que atravessou o mundo inteiro

até chegar ao nosso querido sertão.


Cyntia Lorena




Quatro da tarde


São quatro paredes 
São quatro da tarde 
Foram quatro às vezes 
Que contei as mesmas paredes
Às quatro da tarde.
São muros, são grades
é o tique-taque das horas
que se afastam 

como se eu estivesse imersa em água. 
É a nova mania das mãos, 
são os livros empoeirados na estante.
O som da TV já assunta...
quantos já são os casos? 
As noites em claro, 

os dias cansados
olhos que se perdem nas retas, 

nos cantos.

São quatro da tarde ainda. 

É sempre quatro da tarde. 


Milena Pereira



Saudade


Saudade do sorriso estampado;
Saudade do abraço apertado;
Saudade do beijo demorado;
Do simples aperto de mão.

Saudade dos passeios;
Saudade dos amigos;
Da aglomeração.

Mas sorri com os olhinhos;

Que o coração permanece quentinho;

Por saber que vivos estão.

Victory Geovanna R. Veloso 







Vírus


Varria o vento as vozes das vias
Que vazias já não são vocalizadas
Daquela vivaz vivência visível
Tão vulnerável
Vaga agora um vulto: 

a vasta lista das vítimas 

de um viral vilão
Que vorazmente

devora vidas em vão
Façam-se votos de que velozmente

vingue virtuosa vacina
Para que voemos 

o vitorioso voo 

de vibração vital
Nessa volátil volúpia que é a vida
Vivamos um dia de cada vez
Por enquanto virtual.

(Thiago Campos)



Dificuldade

 

Eu dormi, e acordei em pânico

Não sabia o que tinha  acontecido

Mais vi inúmeras pessoas morrendo.

O que será?

Uma guerra

Uma explosão.

O que será?

era um pequeno vírus

De nome coronavírus

Mais, tão pequeno

Mais, tão perigoso

Inacreditável.

Milhares de pessoas sucumbido.

Um horror!

Lute!

Lutem homens!

Vamos vencer,

Por quê?

Porque a ciência está ao nosso lado

Calma, tenha calma

Logo vai passar

E agente vai se encontrar.

Se abraçar

Se beijar

E ter uma história pra contar.

 (Pedro Douglas)





Sentimentos em meio à pandemia 

        Este ano tudo tá mais difícil 
        Entra mês, sai mês e o povo
        naquele reboliço.
       Todos nós temos que ficar isolados. 
       Muitos chamam mesmo é de aprisionados 
       Sem poder sair, nem conversa aproximada
       Sem nem poder dá aquele abraço bem apertado.
       Esse vírus tantas vidas já tirou 
       O povo sofre a cada dia sentindo 
       Medo e dor.
       As minhas aulas já começaram. 
       Meus colegas... Nem conheço.
       Menos, ainda, os professores.
       Tenho fé que tudo isso vai passar. 
       Não se desesperem meus amigos, 
       Basta apenas obedecer e confiar 
       Pois acredite! 

      Tudo isso logo vai passar.
      
                                    Cícera Aparecida 


2 comentários:

Profª. Antonise Coelho disse...


Agradeço à minha amiga e colega de trabalho, Profª Marli Melo, por ter me enviado os textos produzidos por vocês, alunos e alunas de Enologia - turma V 15 para serem postados aqui. É uma grande alegria compartilhar as impressões de cada um. Fiquei emocionada e feliz. Um grande abraço, Profª. Antonise Coelho

Profª. Antonise Coelho disse...



Sejam seguidores do nosso Blog ( SEGUIR) e envie seus textos para TEMPODAPALAVRA@HOTMAIL.COM
Farei a correção e postaremos.
Abraço,
Professora Antonise